Valdir Barranco terá recontagem de votos no TRE antes do procedimento da posse na AL

12/09/2016 – O candidato Valdir Mendes Barranco (PT) Terá a recontagem dos Votos marcada para a manhã desta segunda-feira (12), na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). O procedimento legal, realizado pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TRE-MT, é o último antes da diplomação do petista na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

A recontagem dos votos é consequência da decisão monocrática do o ministro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deferiu seu registro de candidatura nas eleições de 2014, nos autos do Recursos Ordinário número 118/39. Se confirmada a superioridade dos votos, tal como na contagem anterior, Barranco toma a cadeira hoje ocupada pelo coronel Pery Taborelli (PSC).

O recurso, protocolizado pela defesa do petista, leva em conta o novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), de que a reprovação de contas de gestão das prefeituras pelos Tribunais de Contas do Estado (TCE) não gera inelegibilidade.

A maioria do pleno entendeu que a competência de julgar as contas de governo e gestão dos prefeitos é das Câmaras Municipais. Desse modo, cabe aos tribunais emitir parecer, que só poderá ser derrubado com o voto de dois terços dos vereadores.

Entenda o caso:

O petista travou uma longa batalha judicial para ocupar cadeira na casa legislativa. Ele estava com registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), no entanto, em razão de decisão monocrática, o Tribunal Superior Eleitoral determinou que seja autorizado imediatamente o registro de candidatura do ex-prefeito de Nova Bandeirantes, o que automaticamente leva a perda do mandato do deputado estadual Pery Taborelli (PV). A medida sustenta-se no entendimento do Supremo Tribunal Federal, de que as contas do Executivo devem ser aprovadas apenas pelas Câmaras Municipais.

 

Redação JA

premium

Ler Anterior

TRE-MT adere à campanha Setembro Amarelo

Leia em seguida

Insegurança jurídica sobre Prodeic pode quebrar empresas em Mato Grosso, avalia advogada

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *