• 21 de abril de 2021

> TJMT faz alinhamento sobre PJe e apresenta site

Uma reunião com a alta administração do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para o alinhamento do Processo Judicial Eletrônico (PJe) foi realizada na manhã desta sexta-feira (25 de setembro), na Escola dos Servidores do Poder Judiciário Estadual. O objetivo foi apresentar o projeto do PJe, o cronograma de expansão da ferramenta e também o impacto que o desenvolvimento desse projeto tem nas mais variadas áreas administrativas do Tribunal.

 

Na oportunidade, o presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha, destacou que o PJe é uma realidade em todo o Brasil e falou do caminho percorrido pelo Judiciário mato-grossense para que se concretize todo o processo de implantação da ferramenta em todas as comarcas do Estado e, consequentemente, cumprir a determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

“Estamos no caminho para concretizar o nosso planejamento. Estamos com toda a força de trabalho para realizarmos esse projeto e depois da implantação do PJe em Mato Grosso nós seremos um tribunal modelo. Conto com o apoio, esforço e empenho de cada um de vocês que estarão nessa empreitada, unindo todos os esforços para atingirmos as metas que nós propomos no planejamento estratégico”, salientou.

 

O juiz auxiliar da Presidência e também coordenador do Comitê Gestor do PJe, João Thiago Guerra, falou de todo o contexto do sistema em âmbito nacional e da sua importância para a celeridade processual e consequente prestação jurisdicional em Mato Grosso. Para isso, o magistrado lembrou do empenho de todas as coordenadorias do TJMT, que têm apoiado o projeto e avançado no mesmo sentido.

 

Ele recordou o início da gestão, já na transição, quando o desembargador Paulo da Cunha repassou aos profissionais que iriam atuar na área de tecnologia três grandes premissas para a administração. “Probidade, profissionalismo e PJe, unindo assim, num conjunto de ações transparentes e corretas, o dimensionamento de riscos para o avanço da ferramenta de forma consistente, sempre alinhado ao plano estratégico”, salientou.

 

Segundo o magistrado, o PJe vem para unificar todo o Judiciário em uma única plataforma. “Avançamos a passos seguros com uma ferramenta que vai atender as necessidades do Poder Judiciário, com racionalização de tempo, dinheiro e transparência. Essa é uma grande ação para aperfeiçoar a prestação jurisdicional, um trabalho alinhado às diretrizes do desembargador Paulo da Cunha”, complementou.

 

De acordo com o juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça, Luiz Octávio Saboia, a Corregedoria tem auxiliado na construção dos fluxos do PJe, juntamente com a equipe da Coordenadoria de Tecnologia da Informação. “A Corregedoria que irá demandar capacitações aos magistrados e a forma de atuar dentro desse novo sistema. O PJe é um sistema que o Judiciário como um todo, nacionalmente falando, entende como a grande solução para vários entraves, principalmente a morosidade”, pontuou.

 

O diretor do Departamento de Sistemas e Aplicações da CTI do TJMT, Gustavo Piccin, apresentou o Plano de Trabalho para 2015/2016, bem como as perspectivas do PJe para os próximos anos. Segundo informou, este ano foi um momento de preparação do ambiente para a expansão do PJe em 2016, chegando a 51% de unidades implantadas até o fim do ano, contemplando também todo o Segundo Grau de jurisdição. “Depois passaremos novamente para uma etapa de preparação em 2017, finalizando com as unidades de Vara Única e Criminais em 2018. Esse é o nosso plano de expansão”.

 

Na oportunidade foi apresentado o hotsite do PJe, em conjunto com ações do Núcleo Socioambiental do TJMT, agregando as duas vertentes numa única área, uma vez que, com a ferramenta, muita economia será feita. Foi o que explicou o gerente de projetos da TI, Rafael Kloeckner. “Diminuirá o consumo de papel, de combustível para deslocamento dos advogados às unidades judiciárias e, consequentemente, a diminuição do gás carbônico, além da melhoria da qualidade de vida para os servidores e advogados e aumento da celeridade processual”, explanou.

 

O novo hotsite foi elaborado levando em consideração todos os aspectos de acessibilidade, trazendo informações de como o PJe colabora com a questão socioambiental, trazendo muito mais riqueza de informações quanto às ações já realizadas e as que ainda vão se concretizar. Ele traz transparência nas ações do Comitê Gestor, além de conter todas as informações necessárias acerca do PJe.

 

No site o usuário também pode conferir links, inclusive de notícias sobre o assunto e calendários de treinamentos. “Nós pensamos em concentrar todas as informações da implantação e de conhecimento para os advogados e servidores do Tribunal em um único portal. Ele irá trazer esse benefício”, salientou.

 

O hotsite do PJe poderá ser acessado a partir desta sexta-feira (25 de setembro) através de qualquer dispositivo móvel, por computadores (desktops ou notebooks) e também por tablets ou celulares. Ele está hospedado no Portal do Poder Judiciário Estadual (www.tjmt.jus.br), no menu lateral esquerdo.

 

O PJe – O PJe foi criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para substituir o Processo Judicial Digital (Projudi). O sistema gerencia a tramitação dos processos nas varas de Cuiabá e interior do Estado.Atualmente 14 mil processos estão tramitando por meio da ferramenta, que já está implantada em 25 unidades judiciárias e possibilita, além da celeridade e inteligência ao trâmite processual, diversas ações automáticas durante a tomada de decisões pelo próprio sistema em muitas situações. Isso resulta em redução do trâmite processual e maior qualidade da entrega da prestação jurisdicional.

 

Ao longo deste ano, 655 advogados e defensores públicos já passaram por capacitação para garantir a operacionalização total do PJe até 2018. Os treinamentos são realizados pela TI em Cuiabá e nas comarcas do interior do Estado.Por TJMT

 

premium

Ler Anterior

26/09/2015 – Lei dos Juizados Especiais: 2 décadas consolidadas

Leia em seguida

> Protesto de Termo de Ajustamento de Conduta é apresentado na Convergência 2015

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *