TJMT compila dados sobre socioeducativo

O Poder Judiciário de Mato Grosso compilou os dados apresentados durante audiência pública sobre o Sistema Socioeducativo, realizada no dia 18 de maio, e elaborou um diagnóstico do cenário atual do sistema. Ao reunir as sugestões e os apontamentos feitos pela sociedade e entidades participantes, o Tribunal de Justiça também elaborou relatório que será encaminhado ao Poder Executivo.

A transmissão ao vivo pelo Portal do TJMT e o chat on line garantiram participação maciça da sociedade na audiência pública. Quase 200 pessoas marcaram presença no evento, na Capital. Outras se manifestaram via chat, como moradores de Água Boa e Pontes e Lacerda. O evento gerou 88 apontamentos, a maioria referente à efetividade das medidas socioeducativas (38%) e à gestão de pessoas (25%).

Ao debater o tema eficiência das medidas socioeducativas, 45% dos participantes pediram revisão das medidas e 18% a melhoria no acompanhamento familiar. Quanto à estrutura, 47% das pessoas solicitam a construção de novos centros socioeducativos e 26% requereram a melhoria na estrutura física já existente por meio de manutenções e reparos. Ao discutir o tema gestão de pessoas, 46% solicitaram a realização de mais cursos profissionalizantes para os adolescentes em conflitos com a lei e 33% a capacitação dos servidores das unidades. A sociedade também clama por parcerias entre os poderes (36%).

Após divulgar os dados na tarde desta quarta-feira (3 de junho), o presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha, destacou a maneira democrática com que esse levantamento foi feito. “A audiência pública é a maneira legal de ouvir a sociedade para planejar e estratificar o que a sociedade espera do poder público. Esse é um assunto que envolve toda a sociedade e está em voga no Congresso Nacional, por isso nada mais justo do que envolver todos os interessados neste debate”, ponderou.

Segundo o Escritório de Projetos do TJMT, essa foi a primeira audiência pública na história da instituição feita para debater o sistema socioeducativo. Experiência semelhante foi realizada para elaborar o Planejamento Estratégico do Poder Judiciário de 2015/2020, quando a então gestão percorreu todo o Estado para ouvir a opinião da sociedade.

O juiz Jorge Iafelice dos Santos, da Segunda Vara da Infância e Juventude de Cuiabá, responsável pelos processos dos menores em conflito com a lei, afirma que o papel do Judiciário foi fazer o diagnóstico e encaminhá-lo ao Governo do Estado para as devidas providências. O documento também foi encaminhado à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e será entregue ao Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado para que todos acompanhem as melhorias que serão feitas.

O juiz auxiliar da Presidência Túlio Duailibi Alves Souza destacou a importância das parcerias entre os Poderes para resolução dos gargalos e avanço do sistema. “O sistema socioeducativo, assim como outros assuntos que tramitam na Justiça, demanda ações interinstitucionais, por isso precisamos nos unir em prol dessa bandeira”, frisou.POR TJMT

premium

Ler Anterior

Câmara de Várzea Grande fará emissão de Carteira de Trabalho

Leia em seguida

Políticas sociais são discutidas com segmento empresarial da Habitação

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *