Teté assume no Ministério do Turismo; PMDB emplaca 4 e Bezerra cobra verbas

13/09/2016 – Prestigiada com a presença do ministro do Turismo, Alberto Alves, Teté Bezerra (PMDB) assumiu nesta terça (13) o cargo de secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo na pasta. A nomeação foi articulada pelo marido, deputado federal Carlos Bezerra (PMDB), que faz parte do grupo político do presidente da República Michel Temer (PMDB).

tete bezerra com temer

Em outubro do ano passado, Teté foi nomeada ao cargo de diretora do Departamento de Produtos e Destinos da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo.  Entretanto, foi exonerada do cargo em  29 de abril deste ano, 12 dias depois que a Câmara dos Deputados aprovou o  prosseguimento do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que acabou cassada em 31 de agosto.

A exoneração não está relacionada com o afastamento Dilma ou à posse de Temer como interino. Isso porque Bezerra votou pela admissibilidade do processo de impeachment da petista.

Segundo fontes do PMDB, a exoneração foi motivada pela reestruturação promovida por Temer na pasta. Assim que assumiu definitivamente a presidência da República, o correligionário voltou a contemplá-la com cargo na administração federal.

Com a nomeação de Teté, o PMDB de Mato Grosso passa a contar com quatro cargos na estrutura do governo federal. Totó Parente atua na diretoria da Embratur, o ex-secretário de Justiça e Direitos Humanos na gestão Silval Barbosa (PMDB), Antônio Possas de Carvalho, tem cargo na Diretoria de Terras e Projetos de Assentamento do Incra e Rodrigo Rodrigues é titular o da Secretaria de Saúde Indígena do Ministério da Saúde.

Na posse, Bezerra destacou a trajetória política de sua mulher e do seu trabalho na área social. Ele lembrou que Teté foi secretária de Promoção Social do governo Bezerra (1987-1990), secretária de Estado de Turismo de 2011 a 2012, deputada estadual e deputada federal por três mandatos.

Bezerra ainda demonstrou sua indignação com o fato de o orçamento do Ministério do Turismo ser “o menor da Esplanada”, o que foi confirmado pelo ministro. “Isso é um contrassenso e vai ter que mudar no governo do presidente Michel Temer. E da nossa parte, vamos trabalhar no Congresso para mudar essa realidade. Um país com esse potencial turístico invejável, que gera emprego e renda, não pode trabalhar com esse orçamento ínfimo!”, disse.

premium

Ler Anterior

MT foi contemplado com o Ferrogrão na ordem de R$ 10 bilhões e sua construção é pretendida pelas principais tradings do agronegócio

Leia em seguida

Defensoria deve ter 6 candidatos de 2 grupos para garantir lista tríplice

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *