• 17 de abril de 2021

Setor do leite no Brasil começa a abraçar o movimento pelo “bem-estar animal”

A pecuária leiteira brasileira começa a abraçar o movimento pelo bem-estar animal, um conceito mundial que ganha força no Brasil. “Essa é uma exigência que partiu dos consumidores, mas os produtores já estão aderindo à causa e estão descobrindo as vantagens de se tratar animais com maior cuidado e conforto”, explica Heloise Duarte, diretora de operações da Ideagri, agtech mineira especializada em softwares de gestão de fazendas de gado de corte e de leite. “Há ganhos de qualidade, de produtividade e de imagem”, diz a diretora.

A Ideagri, primeira produtora de softwares certificada com o selo “Empresa Amiga do Bem-Estar Animal”, está patrocinando o evento gratuito “BEA Days – Bem-Estar Animal e o futuro do leite”, que acontece nos dias 6, 7 e 8 de abril, no formato on-line, sempre às 19h, envolvendo produtores de leite, de insumos e serviços ligados à cadeia do leite. “Vamos conversar sobre o impacto desse conceito sobre os animais e a administração das fazendas, quais os reflexos nos negócios e na pecuária em geral”, comenta Heloise Duarte. O evento tem o apoio da Ceva Saúde Animal, QConz, Integral Conteúdo, Traduzindo Vacas, Laticínios Gióia e do movimento #BebaMaisLeite.

“O setor do leite está respondendo de forma ativa à pressão do mercado”, explica Helena Karsburg, diretora de certificações do #BebaMaisLeite. “Neste último ano, 40 fazendas e várias empresas que atuam na cadeia do leite obtiveram a certificação de empresa amiga do bem-estar animal”, contabiliza ela. “O número vai crescer porque o bem-estar animal tem uma ligação direta com produtos de maior qualidade e o produtor entende e valoriza isso”, diz Helena Karsburg. “Para quem produz leite é uma garantia de competitividade e uma forma de elevar sua reputação diante dos consumidores.”

Visão mais sustentável da vida na Terra

O conceito do bem-estar animal deriva da visão mais sustentável e integrada da vida na Terra. Essa linha de pensamento começou com força na Inglaterra e conquistou adeptos entre os consumidores de produtos de origem animal em todo o mundo. Em escala cada vez maior, os consumidores passaram a exigir melhor tratamento dos animais. Produtores começaram a ser avaliados não só pela qualidade do que produzem, mas também pelo cuidado dispensado aos animais durante todo o seu ciclo de vida.

A pesquisa “Consumo às cegas: percepção do consumidor sobre o bem-estar animal na América Latina”, realizada pela organização World Animal Protection e pelo Instituto Ipsos no Brasil, Chile, Colômbia e México, dá suporte à aprovação popular ao conceito do bem-estar animal. Exemplo: embora 66% da população brasileira não sabe como funciona o processo de produção de alimentos de origem animal, 82% dos brasileiros comprariam produtos que trouxessem um selo de “bem-estar animal”, 72% comprariam somente esses produtos caso o preço fosse o mesmo daqueles sem a certificação.

Outra informação interessante da pesquisa: nove em cada 10 brasileiros acreditam que um sistema de bem-estar produz carne de melhor qualidade. Do ponto de vista de tendência, um dado ainda mais interessante: os jovens de 18 a 29 anos têm maior preocupação com os métodos de criação e abate de animais. Os resultados são bastante similares nos países pesquisados. “O público está atento”, afirma Heloise Duarte, da Ideagri.

 

Programação BEA Days

06 de abril – terça-feira – 19 h

Painel: “Certificação BEA. Lançamento do IILB-9 com análise de dados de fazendas certificadas. Conforto animal”, com Helena Karsburg, Heloise Duarte e Marcelo Cecim

Os fundamentos, as etapas e a importância da Certificação em BEA para os mercados e para as fazendas. A relação do BEA com a eficiência e a rentabilidade dos sistemas de produção certificados, através da análise de dados nacionais da 9ª edição do IILB. Análises comportamentais que permitem “ouvir” os animais.

07 de abril – quarta-feira – 19 h

Painel: “Comportamento do consumidor e caso de sucesso de fazenda certificada com produção de lácteos com o selo BEA”, com Flávia Fontes e Viviana Roncoletta.

O comportamento do consumidor, as ferramentas mais inovadoras de pesquisa de consumo, tendências e perspectivas. Exemplo de sucesso de fazenda certificada.

08 de abril – quinta-feira – 19 h

Painel: “Jornada e motivação para a certificação de empresas como amigas do BEA. A certificação BEA no mundo. Desafios para o futuro”, com Chris Leach, Leonardo Araújo, Carla Azevedo e Rogério Rossi

Como realizar a jornada para a certificação da empresa como Amiga do Bem-Estar Animal. A evolução e o futuro da certificação BEA no mundo. A situação do Brasil e os desafios para a produção de leite no futuro, do ponto de vista da dinâmica de regulamentação e do mercado.

Mais informações sobre o evento: https://www.iilb.com.br/bea

 

Da assessoria/ Foto: Reprodução

Rocha

Ler Anterior

Sine MT disponibiliza mais de 1,2 mil vagas de emprego nesta semana

Leia em seguida

Governador de MT pede ao ministro da Saúde que os profissionais de Segurança e Educação sejam vacinados

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *