Servidoras do TRE participam de palestra em homenagem ao Dia das Mães

Na manhã desta sexta-feira, a psicóloga e especialista em clínica familiar, Isolde Moreira, ministrou uma palestra às servidoras e servidores do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, em homenagem ao dia das mães, que se comemora no próximo domingo. O evento foi aberto pela presidente do Tribunal, desembargadora Maria Helena Póvoas, que discorreu sobre a difícil arte em conciliar as inúmeras tarefas da mãe moderna, que na maioria das vezes se sente culpada pelo pouco tempo disponível aos filhos. “Filho não tem fórmula. Acredito nos exemplos que damos, mas nem sempre essa receita de bolo fermenta do jeito que a gente espera”, disse a desembargadora.
A psicóloga Isolde Moreira reforçou que o modelo de maternidade mudou nos últimos anos, com a mulher ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho. “A mãe precisa entender que o vínculo mãe e filho não depende de quantidade de tempo, e sim da qualidade”, diz a psicóloga, que é especialista em clínica familiar.
A palestra se transformou em um bate-papo, com intensa participação e interação das convidadas. A psicóloga Isolde Moreira trabalhou como tema central “Os desafios de ser mãe na atualidade” e apresentou dicas como a dedicação de tempo, formas de amenizar sintomas do estresse, priorizar as atividades e o autoconhecimento.
Segundo a especialista, muitas mulheres enfrentam enorme sentimento de culpa, ao perceberem que alguns setores de sua vida não recebem tanta atenção como deveriam. “Para resolver essas complexidades, o caminho é ter consciência que a perfeição não existe”, enfatiza Isolde.
A servidora Ângela Queiroz tem uma filha de 4 anos e achou a palestra excelente, pois veio atender os anseios das mulheres que têm que lidar com os problemas do dia a dia. “Aprendi muitas lições, como a questão de buscar apoio externo, o que eu não tinha prestado atenção. Eu vejo que pode melhorar a questão do estresse e da ansiedade. Isso vai me trazer benefícios a curto prazo, e vou fazer a prática desde agora”, disse Ângela.
Cristiane Kimura também tem uma filha, na idade de 11 anos, e aprendeu que é preciso administrar o sentimento de culpa, para viver bem e dar mais atenção ao que é relevante. “A palestra foi um tempo que a gente tirou para discutirmos as questões que nos incomodam. Foi muito produtivo e leve”.
Mãe de três filhos e avó de quatro netos, Neide Arantes achou gratificante o evento, que fez a homenagem para as mães, e apontou que as reflexões levam à mudança de comportamento, pois as mulheres são exigidas em vários contextos no cotidiano.
“Como avó que sou hoje, vejo de forma mais clara muitas coisas que a psicóloga falou. Na época dos meus filhos eu achava tempo para estar com eles. Eu fiz o que precisaria ser feito. E nós merecemos ter um tempo somente para nós, porque se a gente não se cuidar, não podemos cuidar de mais ninguém”, afirma Arantes. Ela também sugeriu que palestras dessa natureza sejam ministradas aos homens, a fim de que eles também vejam e compreendam a realidade enfrentadas pelas mães.FONTE TRE

premium

Ler Anterior

Advogados e magistrado levam palestras a Araputanga e Cáceres

Leia em seguida

Cedem aprova notificação a 19 empresas que estão no Prodeic

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *