• 8 de março de 2021

SAÚDE PEDE SOCORRO: Servidores da Saúde protestam contra caos no dia 2 de junho levando atendimento e orientações à população na Praça Alencastro, em Cuiabá/MT

Os servidores públicos da Saúde paralisam os trabalhos nesta terça-feira, 02 de junho, em protesto ao caos instalado. O atendimento digno a população está comprometido, pois faltam materiais, insumos e infraestrutura.

Como forma de protesto os trabalhadores da saúde realizam atendimentos e orientações em Saúde Pública à população a partir das 8hs, na Praça Alencastro, área central de Cuiabá/MT.

A categoria reivindica que o Executivo se posicione frente aos 17 pontos de reivindicações levantados através de Assembleias Gerais e das necessidades de todas as unidades do Estado formulando um Cronograma para efetivação destas pontuações urgentes. Os itens de reivindicação levantados pela categoria são essenciais para que haja tratamento digno e humanizado tanto para o trabalhador quanto para a clientela usuária dos serviços do SUS. “Precisamos de condições dignas de trabalho, assim, como precisamos de salário digno! Dos itens que temos na lista de reivindicações todos são vitais para manter os serviços e atendimentos aos usuários do SUS. Precisamos de mobiliários, infraestrutura, medicamentos, é necessário que seja realizado concurso público para sanar a falta de recursos humanos, mas sobre tudo uma reforma estruturante na estrutura física de nossas unidades para abrigar trabalhadores e usuários de forma humana”, sintetizou o presidente do Sisma, Oscarlino Alves.

17 pontos de Reivindicações formulados pela Categoria:

1) Retirada das Organizações Sociais de Saúde (OSS) da Gestão das Unidades da SES/MT;

2) Realização de Concurso Público;

3) Melhorias nas condições estruturais nas unidades e escritórios (parte elétrica, hidráulica, telefônica, reforma nos banheiros, adaptação para portadores de necessidades especiais, dentre outras necessárias ao funcionamento do SUS, tanto para usuários quanto aos servidores);

4) Renovação do mobiliário adaptados aos serviços;

5) Revisão da Lei Complementar nº 441/2011;

6) Cumprimento da NR 32, norma que tem por finalidade estabelecer diretrizes de Segurança e Saúde do trabalhador em Serviços de Saúde;

7) Melhorias do Serviço de Transporte da SES para deslocamento de Servidores e insumos de saúde;

8) Regularidade no pagamento dos contratos firmados pela SES/MT, para que não haja interrupção dos serviços, a exemplo do que acontece corriqueiramente com a limpeza e segurança patrimonial. Apesar da categoria ser contrária à terceirização, uma vez contratada a empresa a mesma deve receber pelos serviços prestados;

9) Aquisição de insumos e medicamentos;

10) Contratação de empresa para efetuar a manutenção dos equipamentos conforme demanda;

11) Cumprimento do percentual Constitucional, EC 29, a qual prevê um gasto de 12% (doze por cento) da arrecadação do Estado com saúde, sem incluir na base de cálculo os valores gastos com a judicialização;

12) Liberação do uso da internet e outros canais de informação aos servidores ligados à SES/MT;

13) Reajuste dos valores das diárias pagas aos servidores;

14) Pagamento da diferença dos plantões de maio a outubro de 2011;

15) Publicação e pagamento dos valores devidos aos trabalhadores com enquadramentos pendentes – Limbo (direito adquirido);

16) Pagamento do reajuste de 7,5% (sete e meio por cento) na data base da categoria, ou seja, maio de 2015. Reajuste este, previsto na Lei 10.079/2014 para Outubro de 2015;

17) Intervenção junto à Auditoria Geral do Estado determinando a suspensão imediata dos prazos fixados pelas notificações aos trabalhadores com duplo vínculo na Saúde Pública do Estado.

premium

Ler Anterior

Várzea Grande abre Semana do Meio Ambiente buscando experiência para resolver a questão do lixo

Leia em seguida

Dignidade do reeducando e fim de revista vexatória são defendidos por Comissão da OABMT

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *