• 24 de setembro de 2021

> Ribeirinho Cidadão realiza última reunião com parceiros do projeto

Os organizadores do Ribeirinho Cidadão realizaram na manhã desta segunda-feira (25 de janeiro) uma reunião com os parceiros do projeto antes do início do atendimento, que começa no dia 12 de fevereiro. Durante o encontro foi feito um checklist de todas as tarefas que ainda estão pendentes, para que tudo esteja fechado até a data em que a equipe começa a fazer o trabalho na região pantaneira.

Para que um projeto desta grandiosidade tenha sucesso são necessários meses de organização. No caso do Ribeirinho, as reuniões para a 9ª edição tiveram início no mês de junho de 2015, ou seja, são quase oito meses de trabalho para que tudo ocorra bem e com tranqüilidade.

Este ano o Ribeirinho está ainda maior. Ao todo, são 28 parceiros, 70 profissionais das áreas: jurídica, médica e de assistência social que durante duas semanas irão atender mais de 40 comunidades ribeirinhas, ao longo do Rio Cuiabá, entre os municípios de Barão de Melgaço e Poconé.

Além da reunião, a equipe organizadora percorreu a semana passada cerca de 800 quilômetros para visitar 15 comunidades que residem no entorno do rio. O objetivo foi divulgar o projeto, avisar a população sobre os serviços que serão prestados e também checar in loco os lugares onde a equipe irá parar para fazer o atendimento. Tudo o que ofertado pelo Ribeirinho Cidadão não tem nenhum custo para os moradores.

Parceiro do Projeto, representantes do Juizado Volante Ambiental (Juvam) confirmaram na reunião que estão garantidas 5 mil mudas de plantas que serão distribuídas durante o percurso. O Juvam realiza um trabalho de educação ambiental durante o projeto de fundamental importância, já que atinge todas as faixas etárias. Além das mudas, a equipe do Juizado levará pelo segundo ano consecutivo o jogo educativo Rebojando, que ensina as crianças a cuidarem do meio ambiente de uma forma divertida e lúdica. Na edição de 2015 o jogo foi um sucesso entre a garotada. O Juvam disponibilizou também uma lancha para dar apoio às embarcações.

A gerente de estudos e pesquisas do SESC Pantanal, doutora Cristina Cuiabália, participou da reunião e confirmou mais uma vez a parceria do SESC no projeto. “Este é o nono ano que o SESC apóia este projeto, porque ele também tem um cunho de ação social, que é a missão institucional do SESC em todo Brasil e no Pantanal não é diferente. Este ano novamente daremos apoio na parte fluvial e na Comunidade de São Pedro de Joselândia, onde atuamos tem quase 20 anos. São populações que a gente também contribui com ação social, comunitária, esse projeto só vem a complementar esse trabalho que nós já fazemos lá, o objetivo é comum, temos o maior prazer em apoiar mais uma vez”, garantiu.

O coordenador do projeto pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, juiz José Antonio Bezerra Filho, ressaltou que a reunião foi positiva e importante para alinhar os trabalhos. “Hoje repassamos as responsabilidades de cada parceiro e checamos o que ainda está pendente. Como o projeto cresceu muito, temos que ter este cuidado para que tudo ocorra bem. Felizmente está quase 100 por cento concluído, estamos na reta final. Já verificamos logística, alimentação, alojamento, pontos de parada, fizemos a divulgação, enfim, está tudo certo. Agora é pedir para Deus nos guiar para que ocorra tudo bem”.

Coordenador do projeto pela Defensoria Pública do Estado, o defensor Air Praeiro ressaltou que como o projeto cresceu e o número de atendimentos este ano tende a ser maior, é necessário checar todos os detalhes para que o trabalho possa ser feito da melhor forma possível. “Antes o projeto não tinha a dimensão que tem hoje, esperamos um atendimento muito grande, em decorrência da organização que se estabeleceu. Este ano, além da parceira com o governo do Estado, o governador já confirmou presença, o que demonstra por si só a importância que este projeto traz no contexto social desta região da baixada cuiabana. Por esta razão, nós tomamos estes cuidados, alinhando tudo, a fim de não ter nenhum desencontro dentro do projeto, para que tudo transcorra dentro da normalidade”.

Ao todo, quatro embarcações integrarão o Ribeirinho Cidadão, sendo duas chalanas, o navio hospital da Marinha do Brasil e uma chalana de colônia de pesca, que juntamente com o Juizado Volante Ambiental (Juvam) e a Receita Federal, fazem um trabalho de educação ambiental. Ao longo do projeto, o lixo coletado às margens do Rio Cuiabá pelos ribeirinhos é trocado por mudas nativas e roupas – fruto de descaminho – doadas pela Receita. A 9ª edição ocorre entre os dias 12 e 22 de fevereiro de 2016 – parte fluvial – e 23 a 29 – parte terrestre.Fonte TJMT

premium

Ler Anterior

26/01/2016 – TCE-MT é investigado por suspeita de direcionamento em contratos que somam R$ 46 milhões

Leia em seguida

26/01/2016 – Réus da Operação Metástase, comprometem a colaborar com a Justiça em troca de redução ou até mesmo extinção da pena.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *