> Projeto social atende comunidade de Sorriso

Apesar de ter apenas 22 anos, Caroline da Silva Mendonça já passou por uma série de dramas na vida. Além de precisar realizar uma cirurgia de hérnia no umbigo, ela não tem condições de comprar os medicamentos necessários ao tratamento. Mãe solteira, após ter entrado na justiça pedindo pensão alimentícia para o filho, o ex-companheiro passou a ameaçá-la. Aflita, a vendedora foi procurar no mutirão do Programa Justiça Comunitária realizado em Sorriso (420 km ao norte de Cuiabá), no sábado (2 de abril), um desfecho para seus conflitos.

“Desde que apareceu essa hérnia não pude mais trabalhar e fiquei dependente do Estado. O problema é que tenho um filho pra criar e além de não ajudar, o pai dele nos persegue. Não sei mais o que fazer. Já fui ao posto de saúde, na prefeitura e até agora não consegui nada. Minha última esperança é que alguém aqui possa me ajudar”, explicou Caroline.

Direcionada pelo setor de triagem para a sala da Defensoria Pública, a jovem foi atendida pelo defensor local, Marco Aurélio Saquetti. “Casos como o de Caroline nos mostram porque ainda é fundamental que existam programas sociais como este, uma vez que a população muitas vezes tem dificuldade de acessar os serviços disponíveis. Vamos ajudá-la entrando em contato com a Secretaria de Saúde do município para solicitar tanto os remédios quanto a cirurgia. Caso não obtenhamos resposta, vamos ajuizar a ação. Em relação ao ex-companheiro, se for o caso vamos solicitar medidas protetivas para que ele permaneça longe dela e do filho”, observou.

Quem também veio procurar os serviços do programa foi Orlando Araújo Ferreira. Aos 35 anos, ele veio do Estado do Maranhão há pouco mais de um ano em busca melhores oportunidades. Mas só agora pôde trazer a esposa e os quatro filhos para morar com ele. Trabalhando em uma fazenda com produção de grãos, ele foi ao Programa Justiça Comunitária para fazer o CPF dos filhos de 5, 8, 12 e 13 anos. “Fica muito difícil vir da fazenda para levar os meninos para tirar documento. Mas agora eles estão precisando para poder estudar. Vou aproveitar e passar no oculista também. Fiquei muito feliz de saber que aqui as autoridades se preocupam com o povo”, disse Orlando.

A pequena Carla Micheli, de 9 anos, não tirava os olhos da estrutura que imitava uma boca gigante trazida para o mutirão pela dentista da prefeitura de Sorriso, Juliana Moreia. A menina contou que gostou muito de aprender brincando a escovar os dentes corretamente e que a partir de agora vai seguir as orientações da dentista. “Estamos participando do mutirão com o objetivo de ensinar higiene bucal para as crianças de forma lúdica, pois ainda é muito comum ver crianças pequenas com problemas graves nos dentes apenas pela falta de escovação correta. Além disso, também distribuímos 500 kits contendo pasta de dentes, creme dental e fio”, disse.

O Mutirão da Justiça Comunitária da Comarca de Sorriso levou uma série de serviços à população nas áreas de Justiça, saúde, segurança pública e cidadania. Houve ainda palestras e mostras culturais. Tudo ofertado gratuitamente. Ao todo, 87 parceiros, instituições e voluntários estiveram envolvidos direta ou indiretamente na realização do programa no município.

POR Mariana Vianna

premium

Ler Anterior

. Defensoria Pública adota técnica de conciliação

Leia em seguida

Jornada de Estudos já tem datas programadas

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *