Prefeito Emanuel Pinheiro frente à realização da Copa América pede 670 mil doses de imunizantes

A postura austera e firme do prefeito Emanuel Pinheiro em defesa da saúde dos cuiabanos frente à escolha da Capital como uma das subsedes da Copa América, que terá início no próximo dia 13, chamou a atenção da imprensa da Argentina, país que inicialmente sediaria o torneio, mas que desistiu devido à situação crítica da pandemia de covid-19.

Pinheiro levanta a ideia de que o momento pede que “a classe política em geral, os gestores unam forças e canalizem toda sua energia para imunizar a população, única forma de derrotar de uma vez por todas a covid-19” e de que já que Cuiabá não foi chamada a decidir se aceitaria recepcionar o megaevento futebolístico, que seja compensada com a imunização total de sua população adulta, o que demanda o envio de 670 mil doses de vacinas por parte do governo federal.

Nesta quinta-feira (3), o site La Província, de Buenos Aires publicou: “Ter Messi é um sonho, mas estamos em um pesadelo, diz o prefeito de Cuiabá”. O veículo de imprensa destacou que Emanuel Pinheiro foi o único dos quatro prefeitos de cidades-sedes do torneio que se opôs publicamente à realização do evento. Ao periódico, o prefeito também demonstrou seu descontentamento com o fato da Capital não ter tido a oportunidade de se posicionar, além de ter sido surpreendida com a notícia de que receberia o evento, que trará estrelas do mundo futebolístico mundial e vai mobilizar parte da população, que é fanática por futebol.

O site de notícias argentino Télam trouxe o tema como destaque em duas reportagens, dentre elas a que traz no título: “Cuiabá espera por Messi em pé de guerra: seu prefeito se opõe à Copa e quer vacinas em troca”, que ressaltou que a Arena Pantanal, onde ocorrerão os jogos, abriga o centro de triagem contra a covid-19, que terá os serviços à população afetados em decorrência do torneio. O site também mostrou que o prefeito Emanuel Pinheiro teme que uma terceira onda de covid-19 chegue junto com a Copa América, como advertem os especialistas.

Um dos maiores periódicos de jornalismo esportivo do mundo, o argentino Olé, publicou: “O Prefeito de Cuiabá se opõe à Copa América e reivindica vacinas”. Assim como o site Télam, Olé evidenciou o fato de que o centro de triagem que funciona na Arena Pantanal terá seu funcionamento suspenso 5 horas antes de cada partida e que a realização do evento futebolístico na Capital de Mato Grosso não foi recebida com bons olhos pelo gestor. “Não é aconselhável um espetáculo deste tamanho em Cuiabá porque não sabemos como será a mobilização da população para a Copa América, apesar de que serão jogos sem público. Estamos em um momento difícil, discutindo assuntos de saúde da população”, disse Emanuel Pinheiro ao jornal. Texto : Celly Silva/ Secom

O governador interino Max Russi, disse em visita na Arena Pantanal que a capital vai seguir rigorosamente os protocolos de biosegurança, sem público presente, o que não traz nenhum prejuízo à população. Caso ocorra mesmo em Cuiabá, serão alguns jogos e assim teremos a chance de projetar nosso Estado, nossa capital para o Brasil e para o mundo com mídia espontânea”.

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um, explica que a Copa América em Cuiabá, terá um rigor ainda maior do que os demais campeonatos, já que uma das condicionantes para sediar os jogos é que a Conmebol vacine os atletas.

“Uma das exigências é que as delegações venham vacinadas para o país, o que nos deixou mais tranquilos em relação à possibilidade de receber esses jogos. Além de muita visibilidade, com muita segurança, teremos a chance de auxiliar hotéis, bares e restaurantes, tão sacrificados neste período de pandemia, sem custo ao Estado e sem colocar vidas em risco porque não haverá, em hipótese alguma, qualquer tipo de aglomeração. É muito importante para a Arena Pantanal está no foco de uma discussão como essa, por mérito, por reconhecimento”, diz Beto Dois a Um.

Por: Redação JA / Foto: Reprodução

Rocha

Ler Anterior

Agendamento da vacinação será excluído após 2 dias para as pessoas que faltarem

Leia em seguida

TCU disse não reconhecer de documento anunciado por Bolsonaro sobre números de mortes da Covid 19 no Brasil

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *