• 4 de março de 2021

Poderes querem relacionamento harmônico

03/02/2015 -Governador do Estado, prefeito de Cuiabá, procurador-geral de Justiça, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, entre outras autoridades compareceram à posse do novo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, onde garantiram apoio e parceria à gestão que se inicia.

“Quero desejar sucesso nesta empreitada do desembargador Paulo da Cunha. Mato Grosso não é só o Poder Executivo, é Judiciário, Ministério Público, Legislativo, Tribunal de Contas e, sobretudo, o cidadão, aquele que é o destinatário de nossas obras, do nosso trabalho. Paulo da Cunha, eu tenho certeza que representará muito bem o Judiciário de nosso Estado”, destacou o governador Pedro Taques.

O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, ressaltou a importância das parcerias do executivo municipal firmadas com o Poder Judiciário nos últimos dois anos. “Foram parcerias muito bem sucedidas, a exemplo da conciliação fiscal, do aproveitamento de madeiras apreendidas, da utilização de mão de obra de presidiários, além da instalação de uma Vara de Fazenda Pública focada na cobrança dos processos de executivos fiscais do município e do Estado. Queremos que estes trabalhos continuem nesta nova gestão”.

Já procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Paulo Prado, afirmou que a expectativa com a gestão do desembargador Paulo da Cunha é das melhores possíveis. “Temos que trabalhar não pensando nas instituições, mas no povo mato-grossense e harmonicamente, cada um respeitando a independência do outro como aconteceu na administração do desembargador Orlando Perri. Queremos manter o respeito, a harmonia e o diálogo entre as instituições”, garantiu Paulo Prado, completando que o atual presidente é uma pessoa muito respeitada no Ministério Público, onde atuou durante 22 anos.

Djalma Sabo Mendes, defensor público-geral de Mato Grosso, destacou o fato de a Defensoria Pública e o Poder Judiciário terem um ponto de convergência que ele considera fundamental: a distribuição de Justiça. “As demandas que chegam ao Poder Judiciário passam pela Defensoria Pública, então nós temos que criar este canal cada vez mais estreito, essa relação mais próxima para que a sociedade receba esta prestação jurisdicional mais célere, mais rápida. A Defensoria vai trabalhar junto, porque quem espera é a sociedade”.

O novo presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Guilherme Maluf, frisou que os poderes são independentes, mas que o objetivo é comum, trabalhar para melhorar a vida do cidadão mato-grossense. “Para isso há uma necessidade de harmonia entre os poderes. Somos independentes, mas temos que trabalhar de uma forma harmônica. O legislativo vai trabalhar desta forma, eu estou aqui parabenizando o desembargador Paulo da Cunha pela Presidência, um desembargador que já demonstrou em muitos momentos que saberá conduzir esta Corte como ninguém”.

Presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Maurício Aude disse que a expectativa da Ordem é que esta gestão dê sequência aos trabalhos realizados pelas últimas duas gestões, dos desembargadores Rubens de Oliveira e Orlando Perri. “Eles abriram o diálogo permanente com a OAB, que se sentiu indispensável à administração da Justiça. Todos os momentos que se pensava em criar algum mecanismo dentro do sistema judiciário a Ordem era convidada para participar das discussões. É importante que assim continue”.

Janã Pinheiro
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
Foto: Agência F5

premium

Ler Anterior

Sergio Moro defende grampos e “métodos especiais de investigação”

Leia em seguida

Sistema criado pelo TJ é referência internacional

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *