• 2 de março de 2021

Poconé julga três processos e condenada réus

A Semana Nacional do Tribunal do Júri foi agitada na Comarca de Poconé (a 104 km ao sul de Cuiabá). O juiz Ramon Fagundes Botelho presidiu três sessões de julgamento de 13 a 15 de abril que duraram, no total, aproximadamente 33 horas de trabalho. Quatro réus foram julgados e condenados. Somadas, as penas resultam em 60 anos.

No primeiro dia, 13 de abril (segunda-feira), foram julgados os réus Sidnei Bylica e Ana Paula da Silva. Os dois foram condenados a 12 anos de prisão em regime fechado, pelo homicídio de Joilson Fernandes Pires da Silva. Essa sessão do Tribunal do Júri teve início de manhã e só foi encerrada após a publicação da sentença, que ocorreu às 23h15.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Sidnei Bylica, vulgo “Chico”, disparou quatro tiros causando a morte de Joilson em fevereiro de 2012, no bairro Jurimirim em Poconé. Joilson era ex-marido da ré Ana Paula que, após a separação, havia mantido um relacionamento com o também réu Sidnei. Durante a investigação, Ana Paula foi apontada como co-autora do crime.

Representando o Ministério Público, o promotor José Rodrigues da Silva Neto trabalhou na acusação dos réus durante a audiência. A defesa de Sidnei Bylica foi realizada pelo defensor público Gonçalbert Torres de Paula. Já a defesa da ré Ana Paula foi feita pelos advogados Hélio Passadore e Ueber Roberto de Carvalho.

No dia 14 de abril (terça-feira), o réu Vanderson Oliveira Alves de Jesus foi condenado a 12 anos de reclusão em regime fechado pelo assassinato de Dulcio Bispo Pinto com um tiro de arma de fogo. O crime aconteceu em maio de 2013, no bairro Cohab Nova.

E no dia 15 de abril (quarta-feira), o Tribunal do Júri condenou o réu Euller Rodrigues Nogueira a 24 anos de prisão em regime fechado. Segundo o Ministério Público, Euler e o adolescente D. W. S., estando previamente ajustados e munidos de uma espingarda calibre .36, tentaram matar Tony Walley da Silva em maio de 2013, no bairro Sâo Benedito. O assassinato só não se consumou porque a vítima conseguiu fugir. Na denúncia consta ainda que, na mesma data, a dupla tentou assaltar e acabou matando a vítima Ronaldo Marques de Almeida, no bairro Vila Aurora.FONTE Comunicação CGJ-MT

premium

Ler Anterior

Jecrim-VG promove reunião de grupo terapêutico

Leia em seguida

O Congresso não pode desrespeitar a decisão do STF sobre precatórios

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *