19/05/2016 – PJe: servidores de 4 comarcas passam por capacitação

Os servidores das Secretarias das comarcas de Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Nobres e Rosário Oeste passaram por treinamento sobre o Processo Judicial Eletrônico (PJe), nesta terça e quarta-feira (17 e 18 de maio), na Escola dos Servidores do Poder Judiciário mato-grossense.

As capacitações visam a aprendizagem sobre a nova ferramenta. Nessas quatro unidades haverá migração dos processos dos juizados especiais do sistema Projudi para a plataforma PJe, no dia 31 de maio.

Segundo a instrutora da Coordenadoria de Tecnologia da Informação do TJMT, Milena Rodrigues, a capacitação é bastante específica para as tarefas efetuadas nas Secretarias. “Oferecemos aos servidores orientações de acesso às atividades corriqueiras. Realizamos simulações de processos, desde o cadastro até a conclusão. Todas voltadas para situações que eles irão vivenciar na prática”.

Para a gestora de Secretaria da Comarca de Campo Verde, Maria Divina Alves Feitosa, o principal é saber lidar com a nova opção de trabalho. “Até agora o que vi foi fácil de fazer, a exemplo dos cadastros. Mas quero aprender a criar salas de audiência, expedir mandados de segurança, intimações e várias outras funções do meu uso diário. Eu acredito que o PJe irá agilizar o nosso fluxo de trabalho”.

O primeiro contato com o PJe foi bem tranquilo, de acordo com a auxiliar judiciária da Comarca de Nobres, Regeni Cassoli. “Não senti dificuldades de manusear o novo sistema, embora tenhamos acessado novas tarefas. Vejo o treinamento como uma oportunidade para a aquisição de grandes conhecimentos. A experiência adquirida irá trazer mais resultados no dia-a-dia”, afirma.

Na avaliação do gestor da Vara Única e Juizado Especial da Comarca de Rosário Oeste, Ederaldo Lemes do Prado, a ferramenta é interessante porque complementa os conhecimentos existentes sobre sistemas. “Apesar de ser mais elaborada, a plataforma é menos complexa e mais rápida de entendimento. Requisitos esses que irão dinamizar nossa prestação de serviço jurisdicional e contribuir para a melhora da qualidade do trabalho”.

Adiantando seus conhecimentos sobre o PJe, o técnico judiciário da Comarca de Diamantino, Greisson William Vignando, destaca que o sistema veio corroborar os avanços tecnológicos, uma tendência que está de acordo com a evolução das rotinas da Secretaria. “Nós ainda não usamos o PJe, porém queremos nos antecipar nesse sentido, já que iremos trabalhar com um sistema digital ágil, seguro e mais eficiente. É indiscutível o fato que a substituição dos processos manuais por virtuais irá trazer mais celeridade as nossas atividades internas e na prestação de serviço do Judiciário”.

Panorama – Hoje, o PJe já é realidade em três Câmaras, nove juizados, 38 varas cíveis e 1 turma recursal. Já são 53 mil processos dentro do sistema. Em 2014, 1% do Processo Judicial Eletrônico havia sido implantado. Em 2015, esse número subiu para 5%. Para 2016, a meta da atual administração é implantar o sistema em 51% das unidades de todo o Estado. Para 2017, a previsão é de 57%. Até o momento, as metas de implantação estão dentro do prazo.

O PJe é uma plataforma desenvolvida sob a chancela do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), considerada segura, estável e eficiente. Sua implantação visa unificar as plataformas judiciais e trazer celeridade processual, por meio da automatização de uma série de tarefas que resultam em uma prestação jurisdicional mais rápida e eficiente.

Por Viviane Moura/Fotos: Tony Ribeiro

premium

Ler Anterior

19/05/2016 – MEC suspende novos contratos do Fies e ProUni em universidade em MT

Leia em seguida

19/05/2016 – Sindicato diz que parlamentares fez claro descaso para com a categorias que englobam a base do Fórum

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *