> PJe é implantado na Comarca de Lucas do Rio Verde

A meta de implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe) no Poder Judiciário Mato-Grossense está avançando mais a cada dia. Nesta terça-feira (22 de março) foi a vez da Comarca de Lucas do Rio Verde, que fica a 350 km da capital, fazer a migração e a implantação do novo sistema judicial, em solenidade realizada no fórum do município.

A partir de agora, todos os processos judiciais do Juizado Especial e das Varas Cíveis da Comarca de Lucas do Rio Verde serão protocolados de forma virtual e exclusivamente por meio do PJe, o que vai trazer mais celeridade na tramitação e economia de custos com papel e infraestrutura.

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, esteve na solenidade de implantação e falou sobre os benefícios do novo sistema. “A sociedade vive uma nova realidade onde todos estão conectados. E nossos usuários exigem que o Poder Judiciário evolua em suas ferramentas e serviços. E é isso que estamos fazendo, evoluindo. Investindo em um novo sistema aumentamos a capacidade produtiva dos magistrados e servidores, dando mais celeridade ao trâmite; racionalizamos o sistema processual e diminuímos os custos, contribuindo com a sustentabilidade”, explicou.

Paulo da Cunha explanou ainda sobre os desafios vindos com a implantação. “Temos vários desafios, entre elas a qualidade da internet no interior do Estado e a adaptação dos usuários. Temos feito dezenas de treinamentos visando abrandar os impactos causados pelo PJe. Mas, peço aos operadores do direito que sejam pacientes e que abram os olhos para o novo, pois estamos caminhando rumo ao futuro do Judiciário”.

O presidente da OAB seccional de Lucas do Rio Verde, Eduardo Fonseca Vilella, disse que vê com bons olhos a implantação do PJe. “Toda novidade causa uma ansiedade em um primeiro momento, mas temos certeza que o PJe veio para melhorar o trabalho do advogado, bem como conferir mais celeridade ao andamento processual. Parabenizo ao Tribunal de Justiça pela iniciativa”.

Para o promotor de Justiça do município, Washington Borreré, a era digital já é uma realidade e, querendo ou não, todos vão ter que se adequar a ela em algum momento. “A sociedade clama por celeridade e Justiça e a tecnologia pode nos auxiliar muito com isso. Por isso, parabenizo o Tribunal de Justiça por vislumbrar essa premissa e agir efetivamente nesse sentido”.

Segundo o prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, o Poder Judiciário sempre foi um grande parceiro. A implantação do PJe veio para contribuir ainda mais com o desenvolvimento do município. “Em nome da minha sociedade quero dizer que somos gratos ao estágio em que a Justiça luverdense se encontra. O Poder Judiciário Mato-Grossense sempre foi muito sensível conosco e por isso hoje caminhamos cada vez mais rumo a uma Justiça que todos podem alcançar”, destacou o prefeito.

O juiz diretor do Fórum de Lucas do Rio Verde, Cássio Luis Furim, citou uma frase de Salomão para explicar o sentimento que a vinda do PJe traz à Comarca. “Quando as nossas ferramentas estão enferrujadas, temos que empregar mais força para obter o mesmo resultado. Hoje, temos uma ferramenta afiada, que vai nos auxiliar a aplicar a Justiça que todos esperam do Poder Judiciário”, comparou.

Durante a solenidade, o juiz auxiliar da Presidência Aristeu Villela ministrou uma palestra explicando o funcionamento e o planejamento de implantação do Processo Judicial Eletrônico nas 79 Comarcas do Estado. Segundo ele, a meta do PJMT é concluir até 51% das implantações até 2017 e 100% até o final de 2018.

Em Lucas do Rio Verde, foram migrados mais de 6 mil processos do Projudi para o Pje para a realização da implantação. Os processos do Juizado da Infância e Juventude e das varas criminais não foram incluídos no sistema.
Também estiveram na solenidade o defensor público Leandro Jesus Pizarro Torrano, o presidente da Câmara Municipal de Lucas do Rio Verde, Dirceu Cosma, a juíza da Vara do Trabalho, Roseane Nascimento Cardoso, e os magistrados do fórum de Lucas, Gisele Alves Silva, Hugo José Freitas da Silva, Gerardo Gumberto Alves Silva Junior, Gleidson de Oliveira Grisoste Barbosa e Cristiano dos Santos Fialho.

Por Mariana Vianna/Fotos: Tony Ribeiro

premium

Ler Anterior

23/03/2016 – OAB-MT reforça posição pró-impeachment em reunião com entidades

Leia em seguida

23/03/2016 – STF perdoa pena de Pedro Henry por envolvimento no Mensalão

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *