Homenagem à Rosarinha Bastos marca solenidade de entrega de certidões

 

O Dia de Formação, evento promovido pela Comissão do Jovem Advogado (Cojad) e que consiste na entrega de certidões profissionais para novos advogados e estagiários, foi realizado na tarde desta segunda-feira (15 de junho), no auditório da OABMT, e marcado pela homenagem à advogada Rosarinha Bastos, que foi presidente da Comissão de Infância e Juventude da Ordem, e faleceu em abril deste ano, vítima de câncer.

 

De acordo com o presidente da OABMT, Maurício Aude, a Seccional resolveu prestar a homenagem “pela brilhante postura que a advogada Rosarinha Bastos teve frente à Comissão de Infância e Juventude, uma pessoa que sempre trabalhou com muita paixão e obteve significativos resultados em prol de crianças e adolescentes de todo o Estado”, resumiu.

 

A presidente da Comissão de Direitos Humanos, Betsey Polistchuk de Miranda, registrou algumas das ações de Rosarinha Bastos, enfatizando “que a advogada atuou em estradas, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, barrou caminhoneiros, falou de prostituição infantil, caminhou por inúmeras cidades de Mato Grosso ministrando palestras sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, visitou escolas rurais, participou e incentivou crianças e adolescentes a participarem de concursos de redação”, dentre muitas outras atuações.

 

“Também participei com ela de muitos trabalhos e vimos sua atuação na CPI da Pedofilia, por meio do senador Magno Malta, e sua representação na OABMT junto à Comissão de Infância e Juventude. Minha amada amiga, é difícil para todos nós, seus amigos e família, tentar juntar os pedaços do coração. Como todo ser universal, você era uma pessoa única, cujo riso ecoará para sempre. Esse riso que era nosso hoje ecoa em outro espaço, com outros companheiros iluminados, atuando na proteção daquilo que mais amou em vida: crianças e adolescentes. Repetindo as suas palavras: Inté mais vê”, finalizou Betsey Miranda.

 

O filho da advogada, Ale Arfux Junior, agradeceu a homenagem e contou apenas um fato que ocorreu antes do falecimento de sua mãe. “Nunca atuei na área de família e pouco antes dela morrer participei de uma audiência em que o cliente dela, por coincidência, é amigo meu, o qual me ligou para que o acompanhasse. Fui com ele na audiência e quando começou, o promotor perguntou sobre o caso e expliquei do que se tratava, enfatizando que ele era cliente da minha mãe, quando pude perceber o quão ela era respeitada”, destacou.

 

O advogado acrescentou que esse respeito adquirido ao longo dos anos serve como exemplo para os novos advogados e estagiários. “Militem com lealdade que serão respeitados. Exijam seus direitos, suas prerrogativas. Denunciem quem tiver que ser denunciado pela prática de abusos contra vocês. Na advocacia, os frutos demoram a aparecer, mas quando começam é muito bom. Especializem-se, atuem na área que mais se identifiquem que tudo se torna mais fácil”, concluiu.

 

premium

Ler Anterior

OAB divulga edital de reaproveitamento da 1ª fase do XVI Exame

Leia em seguida

III Encontro do Vale do Guaporé reuniu mais de 130 pessoas em Pontes e Lacerda

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *