• 4 de março de 2021

Mutirão resolve problema dos cidadãos

Uma oportunidade de limpar o nome que foi negativado indevidamente. Essa foi a motivação que levou dona Divina Andrade, 64 anos, à Central de Conciliação do Fórum de Cuiabá na manhã desta sexta-feira (10 de abril). Ela participou do Mutirão de Seguradoras Privadas na tentativa de resolver seu problema por meio de acordo.

Dona Divina conta que em 2013 adquiriu um plano odontológico nas Casas Bahia. Quando foi utilizar, descobriu que na verdade se tratava de seguro para acidentes pessoais. A maior surpresa, entretanto, foi que o nome dela não constou no plano, apenas o do esposo, como titular. A filha dela, que deveria ser dependente, constou como esposa do pai no contrato.

“Eu fiquei até doente de tanta dificuldade para resolver a situação. Não conseguia cancelar e nem utilizar o plano. Passamos muita vergonha e meu nome ainda ficou sujo porque mesmo conversando com a loja, ela não cancelou a cobrança que vinha no cartão. De poucas parcelas que faltavam pagar, hoje estou com uma dívida de quase R$2 mil”, ressaltou dona Divina.

A negociação foi feita com a equipe do Escritório de Advocacia Jacó Coelho. “A ideia é resolver o problema do cliente de forma satisfatória por meio da conciliação, pois é bom para o cliente e para a seguradora. Um processo que teria trâmite normal de quase cinco anos aqui nós resolvemos com pouco tempo de conversa”, explica o responsável pelas negociações, Thiago de Paula Luz. Hoje o escritório está representando seis seguradoras particulares – Mapfre, Zurich, Itaú, Itaú Autos/Residência, MetLife e Ace seguradora.

De acordo com a juíza Adair Julieta da Silva, responsável pela Central, esta é uma oportunidade de negociação com a finalidade de resolver os litígios por meio de acordo. “Nós visamos primeiramente à resolução do conflito e a instalação da cultura da paz. Consequentemente conseguimos baixar o estoque de processos do Poder Judiciário”, observou a magistrada.

Para o mutirão que ocorre nesta sexta-feira, até as 16h40, na Central de Mediação de Cuiabá, foram liberadas três bancas de conciliadores e ainda uma médica para fazer as perícias necessárias nos casos de acidentes. Tudo é feito no sentido de dar agilidade à resolução dos 72 processos que foram separados dos Juizados e Varas Cíveis da Capital.

Quanto à dona Divina? Ela aceitou o acordo que foi oferecido no valor de R$ 3,9 mil a título de danos morais e a exclusão do nome dela do Sistema de Proteção ao Crédito, juntamente com o pagamento dos juros.

Leia nos links abaixo mais informações sobre o assunto e veja mais fotos no Flickr do TJMT pelo endereço: https://www.flickr.com/photos/tjmt_oficial.

Central realiza Mutirão de Seguradoras Privadas
http://www.tjmt.jus.br/noticias/38869

Fotos: Adilson Cunha
Coordenadoria de Comunicação do TJMT

premium

Ler Anterior

Inscrições abertas para palestra sobre Direito de Concorrência

Leia em seguida

Lista Amarela: juíza condena 29 pessoas

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *