• 4 de março de 2021

Mulheres andam 4 horas em busca de atendimento

Depois de quatro horas andando embaixo de sol e com água na altura dos joelhos, um grupo de 15 mulheres, cada uma com um filho nos braços, chega ao Posto de Saúde da Comunidade de São Pedro de Joselândia, em pleno Pantanal Mato-grossense, onde a equipe do Projeto Ribeirinho Cidadão está fazendo atendimentos nas áreas de saúde, jurídica e social.

Eles saíram de casa, na localidade de Retiro São Bento, às 5 horas da manhã, e chegaram às 9 horas, para conseguir atendimento médico. Na comunidade, onde residem 34 famílias, o acesso a serviços públicos é muito difícil, principalmente nesta época do ano, quando os moradores ficam praticamente isolados durante seis meses, em razão das chuvas.

A dona de casa Lara Maria da Penha, 34 anos, mãe de cinco filhos – 15, 14, 7, 3 e 1 ano – trouxe o bebê para consultar. “Faz dias que ele está com tosse e gripado, vim aqui para a médica ver o que é e passar um remédio. Aproveitei também para tirar meu CPF. Para nós o projeto é maravilhoso, porque moramos longe de todos estes recursos. Fui muito bem atendida. Fico esperando o próximo ano a equipe chegar”.

Quem também aproveitou os serviços oferecidos pelo projeto foi a dona de casa Elinete Penha Morais, 28 anos. Mãe de três filhos, ela andou durante 4 horas com o bebê de apenas dois meses no colo. “Vim para conseguir tirar o cartão do Bolsa Família. A vida aqui é difícil, tenho três crianças pequenas, esse dinheiro vai ajudar muito. Para ir na cidade é complicado, não tenho com quem deixar eles (sic), por isso andei tudo isso para aproveitar a vinda do projeto na comunidade”.

Além de fazer consultas e tirar documentos, as mães receberam roupas e cobertores doados pela Receita Federal. Durante o projeto, estão sendo distribuídas cinco mil peças de roupas apreendidas pela Receita.

“Só vivenciando para saber o grau de dificuldade que estas pessoas enfrentam para terem acesso a serviços básicos de saúde, de Justiça e cidadania. Esta população é sofrida. Quando vemos a alegria nos olhos de um ribeirinho que conseguiu retirar um documento, fazer uma consulta, receber óculos ou ter sua demanda jurídica resolvida, nós vemos a importância deste projeto. Isso nos dá forças para continuar o Ribeirinho Cidadão”, destaca o juiz José Antonio Bezerra Filho, um dos coordenadores da caravana.

O Projeto Ribeirinho Cidadão, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Defensoria Pública do Estado e parceiros, teve início no dia 19 de fevereiro em Barão de Melgaço e terminou no dia 6 de março.POR TJMT

premium

Ler Anterior

Justiça Comunitária prevê novas ações

Leia em seguida

Sessão da Primeira Criminal será às 15h nesta terça

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *