MT é o 5º estado que menos aprova no exame da OAB

08/01/2015- Estudo elaborado pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) demonstrou que Mato Grosso é o 5º estado que menos aprova no Exame da OAB.

O relatório “Exame da Ordem em Números” levou em conta os dados obtidos do II Exame, aplicado em 2010, até o X Exame, realizado em 2013.

A média de aprovação dos candidatos mato-grossenses nestas nove edições ficou em 37,8%, abaixo da média nacional de 45,8% e da média do Centro-Oeste de 41,5%.

Atrás de Mato Grosso ficaram os candidatos de Rondônia (37,1%), Roraima (36,7%), Amazonas (34,8%) e Amapá (33,3%).

Já os maiores índices de aprovação foram registrados entre os candidatos do Ceará (54,9%), Rio Grande do Sul (51,1%) e Minas Gerais (50,6%).

Mato Grosso também ficou de fora da lista das 35 universidades com os melhores desempenhos nas nove edições.

O estudo também apontou que, apesar de 89,2% dos candidatos ao exame serem de universidades privadas, os egressos das universidades públicas têm desempenhos melhores. “Evidencia-se que a taxa de aprovação nos Exames da OAB apresenta uma correlação mais forte com a qualidade dos cursos de ensino superior do que propriamente com a padrão de vida oferecido pelos municípios brasileiros”

Nas faculdades privadas a média de aprovação ficou em 44,1%, enquanto que na rede pública 69,1% dos estudantes foram aprovados no exame.

Conforme o relatório,é possível que o padrão social e econômico do candidato afete o seu desempenho na hora de fazer a prova. No entanto, foi constatado que a aprovação ou não do estudante também depende –e muito- do ensino oferecido pela universidade.

“Em outras palavras, evidencia-se que a taxa de aprovação nos Exames da OAB apresenta uma correlação mais forte com a qualidade dos cursos de ensino superior do
que propriamente com a padrão de vida oferecido pelos municípios brasileiros”, diz trecho do estudo.

Prova da OAB

O Exame da Ordem é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB. Ele é oferecido três vezes por ano. Até setembro de 2013, foram realizadas dez edições unificadas da avaliação, sendo da FGV a responsabilidade pela organização desde a segunda edição unificada.

A prova é realizada em duas fases. Na primeira, os examinandos são submetidos a uma prova escrita objetiva sem direito à consulta de material de apoio. Na segunda, realizam uma prova prático-profissional com consulta.

No ano passado, foi aprovada uma alteração que permite ao candidato que reprovou na 2ª fase não precisar realizar novamente a 1ª fase na próxima tentativa.

LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO-MIDIAJUR

premium

Ler Anterior

Fala de Gilmar Mendes fere a inteligência, diz Nery

Leia em seguida

08/01/2015 – MPF denuncia Silval Barbosa por posse irregular de arma

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *