MPE quer suspensão da doação de imóveis a particulares

21/01/2015 – O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Procuradoria Geral de Justiça, ingressou com duas ações diretas de inconstitucionalidade, com pedido liminar, requerendo a suspensão de 52 leis do município de Barra do Garças.

As referidas normas foram sancionadas nos anos de 2013 e 2014 e possibilitaram ao Poder Executivo a efetivação de doações de imóveis pertencentes à municipalidade para particulares.

As ações foram propostas nesta segunda-feira (19), pelo procurador-geral de Justiça, Paulo Roberto Jorge do Prado, após representação do promotor de Justiça Marcos Brant Gambier Costa, que atua nas Promotorias de Justiça de Barra do Garças. O MPE alega que os imóveis, objeto das ações, deveriam ter destinação pública e que jamais poderiam ter sido doados para atender a interesses privados.

“Os diplomas legislativos mencionados afrontam o princípio fundamental da isonomia e sobrepõem interesse privado em detrimento do interesse público, que deve ser resguardado pelas leis e pelos atos administrativos que fazem parte do ordenamento jurídico”, argumentou.

A lista de beneficiários apontados na ação abrange pessoas físicas e jurídicas. Dos 23 imóveis doados no ano passado, por exemplo, 19 foram avaliados em R$ 397.715,00. “As referidas doações traduzem-se em privilégio concedido pelo legislador e pelo administrador público a determinada categoria de pessoas jurídicas e pessoas físicas, desrespeitando os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência que devem nortear os atos do poder público”, acrescentou.

O procurador-geral de Justiça destaca que o pedido liminar de suspensão das doações tem como objetivo evitar a realização de construções nos terrenos públicos, até o julgamento de mérito das Adins.

DA REDAÇÃO
COM MPE

premium

Ler Anterior

TRT rejeita transferência da Vara de Sapezal para Várzea Grande

Leia em seguida

21/01/2015- Gravações revelam suposto “propinoduto” na Setas

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *