MEC garante universidade federal para Rondonópolis

27/05/2015 – Proposta será incluída no próximo ciclo de Expansão das Universidades Federais realizado pelo Ministério da Educação

A criação e implantação da Universidade Federal de Rondonópolis – UFR será incluída no próximo ciclo de Expansão das Universidades Federais. A garantia é da diretora substituta de Desenvolvimento da Rede de Institutos Federais de Educação Superior, do Ministério da Educação (MEC), Dulce Maria Tristão, em resposta à indicação 203/2015, de autoria do deputado Gilmar Fabris (PSD).

O parlamentar defende a autonomia da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis, e pede apoio à bancada federal junto ao Ministério da Educação, para melhorar a oferta do ensino superior aos estudantes da região sul. O documento, aprovado em Plenário, foi encaminhado em março deste ano.

“O projeto ora analisado é pertinente, devendo ser inserido no próximo ciclo de expansão das universidades federais, o qual deverá conter um planejamento estratégico que articule a continuidade da interiorização da educação superior pública, envolvendo não apenas as universidades federais, como também os institutos federais e respectivos campus”, diz trecho do ofício 025/2015, assinado pela diretora.

Chamada de Universidade Federal de Rondonópolis, Dulce Tristão alerta para a necessidade de alteração para um nome que reflita a abrangência regional da instituição. Pois, segundo ela, não é política do MEC vincular o nome da universidade ao do município.

Fabris argumenta que a proposta está embasada nos inúmeros pedidos feitos pela população, que enfrenta dificuldades para cursar o ensino superior. “Sabemos que a demanda é muito grande. Por isso, defendemos mais atenção dos governantes para a área educacional”, disse Fabris.

O Ministério da Educação aprovou no ano passado o Plano Nacional de Educação. Desde então, determinou estudos em diversas regiões do país para a verificação do vazio de vaga pública e elaboração do planejamento e expansão das universidades federais. “Acreditamos que essa proposta seja consolidada no segundo semestre de 2016”, explicou o coordenador Geral de Expansão e Gestão das IFES, Antônio Simões Silva, ao acrescentar que o processo ainda esbarra na questão orçamentária. Contudo, destaca como avanço o apoio do Conselho da UFMT.

RONDONÓPOLIS – Segunda maior economia de Mato Grosso, Rondonópolis está na região sul, que tem 443 mil habitantes, sendo 20 mil estudantes no Ensino Médio. Atualmente, o campus da UFMT no município, que deverá ser desmembrado com a obtenção da autonomia, atende 5,4 mil estudantes, ofertando 21 cursos de graduação, inclusive de Medicina, além de três mestrados e um doutorado interinstitucional. Há previsão da criação do Comitê Pró-Universidade Federal de Rondonópolis, composto pela comunidade acadêmica e diversos setores da sociedade civil e por toda classe política do sul do estado.FONTE Itimara Figueiredo/ Assessoria de Gabinete- (Foto: Mauricio Barbant/ALMT)

premium

Ler Anterior

CPI das OSS faz a convocação de duas servidoras da SES

Leia em seguida

Pós-graduados em instituições estrangeiras pedem revalidação de diplomas em MT

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *