Lucas do Rio Verde completa 17 anos

A Comarca de Lucas do Rio Verde (354km ao norte de Cuiabá) completa 17 anos na próxima sexta-feira (3 de abril). Instalada em 1998, à época, contava apenas com uma servidora efetiva, oriunda da Comarca de Sorriso (418km a norte de Cuiabá). Os demais servidores eram cedidos pela Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde.

Mesmo antes da instalação da comarca os jornais locais noticiavam a mobilização da população em prol de sua criação, inclusive formando uma comissão especial para busca de auxílio entre empresários e agricultores para a aquisição de equipamentos para a futura comarca.

Atuando no município desde junho de 2012 até os dias atuais, o juiz Cássio Luis Furim conta que quando assumiu a função em Lucas do Rio Verde, para responder pelos processos da Quarta Vara (feitos criminais), havia quatro varas na unidade judiciária. Atualmente a comarca conta com seis varas e devido ao crescimento populacional (60 mil habitantes) e ao movimento forense (mais de três mil novas ações distribuídas por ano), a unidade foi elevada para Terceira Entrância em 2014.

O juiz lembra que inicialmente o fórum funcionava em um prédio alugado. Posteriormente a prefeitura doou um terreno e construiu um prédio com duas varas. Em 26 de novembro de 2004 a Comarca foi elevada para Segunda Entrância e na sede foram instaladas três varas criminais. A sede própria do Fórum e a instalação da Quarta Vara Criminal foram inauguradas em 22 de fevereiro de 2005. Já a sede própria do Juizado Especial foi instalada em 3 de agosto de 2006. Poucos anos depois o prédio foi ampliado duas vezes para abrigar as seis varas.

De acordo com o juiz existe atualmente um projeto em andamento para ampliação do fórum e construção de um anexo com cerca de 700 metros quadrados. O local funcionará como espaço de referência para o projeto Depoimento sem Dano, área social, centro de conciliação e mediação e arquivo.

Início – Com a instalação da comarca, em 1998, o juiz Paulo Roberto da Silva Pedroso, do Fórum de Sorriso, respondia cumulativamente por ambas as comarcas e durante quatro meses dava expediente em Lucas do Rio Verde uma vez por semana.

A magistrada Edleuza Zorgetti Monteiro da Silva tomou posse em 22 de julho de 1998, realizando o primeiro concurso público do Fórum. Notadamente as melhorias foram acontecendo com o passar do tempo e a Justiça ficou mais acessível ao cidadão. Muitas mudanças aconteceram ao longo desses 17 anos de instalação, desde físicas, estruturais e de condições de trabalho.

A servidora Belques Solange Grisa Lesseux, que na época era responsável pela expedição dos mandados, recorda que esses documentos eram datilografados. Já Leila Cristina Lima Goes, que trabalhava na distribuição de processos, lembra que as consultas eram feitas nos livros de registros e depois as certidões eram datilografadas.

Trabalhando no atendimento, a servidora Marisa Antonia Tabile recorda que todos os andamentos dos processos eram feitos em fichas e guardados no armário de aço por ordem alfabética. “Quando os advogados precisavam consultar os processos, era necessário pegar as fichas para consultar o escaninho em que estava. Se chegasse a perder uma ficha era difícil de achar o processo”.

O juiz Cássio Furim ressalta que o município de Lucas do Rio Verde é a 13ª melhor cidade para viver no Brasil, conforme apuração do Índice de Desenvolvimento Humano. Ele destacou a estrutura do trabalho, que considera bastante satisfatório. “É uma das poucas comarcas do estado que, mesmo não sendo comarca polo, possui cadeia pública com boa capacidade e local para os presos trabalharem, centro de ressocialização para menores infratores, abrigo para crianças e adolescentes em situação de risco e demais estruturas que contribuem para que a atividade jurisdicional seja mais efetiva”.

O magistrado enfatiza que a cidade e a unidade judiciária tem um histórico de resiliência, superação e crescimento, “com grande mérito dos magistrados e servidores que foram pioneiros e dos mais recentes que, em reforço, foram chegando cientes de que ninguém é obrigado a vencer a batalha sozinho, mas também que ninguém está autorizado a desistir da luta de tornar o poder judiciário um serviço de excelência no estado”.

Também jurisdicionaram na Comarca de Lucas do Rio Verde os juízes Luís Otávio Pereira Marques, Lídio Modesto da Silva, Elza Yara Ribeiro Sales Sansão, Túlio Duailibi Alves de Souza, André Barbosa Guanais Simões, João Thiago de França Guerra, Leilamar Aparecida Rodrigues, André Luciano Costa Gahyva, Wladys Roberto Freire do Amaral, Julio César Molina Monteiro, Bruno D’Oliveira Marques, Cássio Luís Furim, Gleidson de Oliveira Grisoste Barbosa, Cristiano dos Santos Fialho e Hugo José Freitas da Silva.

As servidoras que trabalharam no início da instalação do Fórum e atualmente continuam na comarca são: Vilma Pinheiro Machado Lopes, Belques Solange Grisa Lesseux, Leila Cristina Lima Goes, Roseli de Fátima Pereira Gimenez, Marisa Antonia Tabile e Marinez Castelli da Luz.

Coordenadoria de Comunicação do TJMT

premium

Ler Anterior

Comissão e Conselho da Mulher são criados em Mirassol e Colíder

Leia em seguida

DIPLOMAS: Com novos projeto e audiência Wagner reabrirá caso Mercosul

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *