Juiz manda Emanuel Pinheiro tirar do ar propaganda contra Julier e cita Bíblia

15/09/2016 – O juiz Paulo de Toledo Ribeiro Júnior, da 1ª zona eleitoral de Cuiabá, mandou retirar do ar o programa eleitoral e as inserções do candidato a prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) que vinculam o adversário Julier Sebastião da Silva (PDT) à Operação Ararath e a venda de sentenças no caso do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A decisão do juiz eleitoral foi proferida nessa quinta-feira (15) e atende parcialmente a pedido da coligação “Cuiabá: Futuro e Inclusão”. O magistrado não concedeu o direito de resposta solicitado, e afirmou que será decidido no julgamento de mérito.

“ (…) Com efeito, enxerga-se, no material apresentado, mensagens aptas a configurar as afirmações caluniosas, difamatórias e injuriosas de que cuida o art. 243, IX, do Código Eleitoral”, escreveu o juiz. O magistrado afirmou que o programa eleitoral do candidato do PMDB afronta a legislação eleitoral, que proíbe propaganda que possa degradar a imagem do candidato.

O juiz Paulo de Toledo ainda lamentou os ataques feitos por candidatos em campanhas eleitorais. “Volto ao tema de que é hora de passar o Brasil a limpo e, na esteira dessa premissa, não consigo acreditar que candidatos ao cargo de prefeito de uma capital, como Cuiabá, ao invés de mostrar ao que vieram e o que pretendem com a nossa cidade, mantém o objetivo de degradar e ridicularizar a imagem dos demais candidatos”, disse.

O magistrado ainda citou a Bíblia para criticar a estratégia. “É por triste demais ver os candidatos ofendendo e tentando de alguma forma, prejudicar os outros candidatos. Devem os candidatos mostrarem suas propostas para melhorar nossa capital, mas não, querem apenas mostrar os podres dos demais. Aqui, relembro uma passagem dos Evangelhos, na qual Jesus Cristo diz para a multidão: ‘quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra’. Ninguém atirou pedra, mas recuaram e foram embora”, disse.

premium

Ler Anterior

Lei regulamenta estadualização do Hospital Regional de Alta Floresta

Leia em seguida

Ex- desembargador Evandro Stábile continuará aposentado compulsoriamente

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *