#Instaperfect: como a desigualdade pode estar impulsionando as selfies sensuais

22/09/2018 – Uma imagem vale mais que mil palavras. Da mesma forma, parece que há mais por trás das selfies do que pode parecer à primeira vista.

A obsessão online que vivemos hoje tem sido vinculada à vaidade e até à opressão de gênero. Mas poderia ser também um comportamento guiado pela economia?

 Asma Elbadawi é uma artista visual de origem inglesa e sudanesa. Ela acha que o capitalismo moderno impulsiona as mulheres a se fotografarem como objetos de desejo. Recentemente, ela postou uma selfie no Instagram com desenhos no rosto, lembrando as marcas feitas em pacientes antes de uma cirurgia plástica.

Na imagem, ela citou uma frase de um de seus poemas, intitulado “Shades” (sombras, em português): “mantenha-se na moda em um mundo que cria inseguranças e oferece-as como alimento para sua população”.

Foto: Getty Images / BBC News Brasil

premium

Ler Anterior

Selfie sexy é mais comum em países mais desiguais

Leia em seguida

Mercados devem se preparar para longo período de turbulências, alerta BIS

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *