IAB na cerimônia em memória às vítimas do Holocausto

O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) foi representado pelo seu secretário-geral, Jacksohn Grossman, na cerimônia do Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto promovida, na noite desta terça-feira (27/1), no Palácio do Itamaraty, no Centro do Rio, pela Confederação Israelita do Brasil (Conib), a Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj) e o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (Unic Rio). Instituída pela ONU, a solenidade foi incluída no calendário oficial da comemoração dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Estiveram presentes sobreviventes do Holocausto e autoridades federais, estaduais e municipais.

De acordo com Jacksohn Grossman, “o presidente da Fierj, Paulo Maltz, em seu discurso, destacou a violência que ainda sofrem os judeus em várias partes do mundo”. Ainda segundo o secretário-geral do IAB, “o presidente da Conib, Fernando Lottenberg, ressaltou que, apesar do avanço da civilização e das leis existentes, os judeus continuam sendo atacados pelo simples fato de serem judeus, como ocorreu recentemente num supermercado em Paris”.

Além da homenagem aos seis milhões de judeus assassinados, foram lembrados especialmente os 70 anos da libertação do campo de extermínio de Auschwitz, considerado a maior máquina da barbárie nazista. A data que lembra mundialmente o Holocausto, criada em 2005 pela ONU, marca o dia em que tropas soviéticas libertaram o campo de extermínio, localizado na Polônia, em 27 de janeiro de 1945.

Em resolução apoiada pelo Brasil, a ONU pede aos países-membros que elaborem programas de educação sobre o Holocausto e “condena sem reservas todas as manifestações de intolerância religiosa, de incentivo ao ódio, de perseguição ou de violência contra pessoas ou comunidades por causas étnicas ou religiosas e rejeita qualquer negação do Holocausto como fato histórico”.

Assessoria de Imprensa

premium

Ler Anterior

Para advogados, Brasil vive insegurança jurídica nunca antes vista

Leia em seguida

Passageiro não pode ser impedido de embarcar por erro de informação

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *