Governo lança plano de enfrentamento às queimadas 2016, estimativa de gastos R$ 1,3 milhão

13/07/2016 – O governo de MT, prevê gastar R$ 1,3 milhão durante o período proibitivo de queimadas no estado, que começa na próxima sexta-feira (15) e vai até o dia 15 de setembro. O anúncio foi feito nesta terça-feira (12), quando foi lançado um plano de enfrentamento às queimadas em 2016. Na ocasião, também foi inaugurado o Batalhão de Emergências Ambientais, dentro do Parque Massairo Okamura, em Cuiabá.

A meta do Corpo de Bombeiros é de atender aos 141 municípios durante o período proibitivo de queimadas, e no qual as condições climáticas deixam a vegetação seca e propícia para combustão, favorecendo o fogo. Nesse prazo, que pode ser prorrogado, fica vetada a queimada rural para limpeza de área para pastagem e agricultura.

“Em área urbana é proibido no ano todo, é crime, então não existe período não proibitivo, a população precisa entender isso”, explica o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Júlio Césasr Rodrigues.
Conforme o Corpo de Bombeiros, as áreas de conservação estaduais serão prioridade. A nascente do Rio Paraguai, o Parque Estadual da Gruta Azul e a Chapada dos Guimarães estão entre as 10 unidades de conservação prioritárias dentre as 40 do estado. A escolha foi feita por meio de análise de risco.

O combate deverá ter apoio das 18 unidades do Corpo de Bombeiros em municípios do estado; oito brigadas municipais mistas em regiões mais sensíveis ao fogo, como Feliz Natal, Sinop, Cláudia, Ipiranga do Norte, Vera, Sapezal, Campo Novo dos Parecis, Aripuanã, Comodoro, Porto Esperidião; e dez bases descentralizadas.

Entre as brigadas mistas e bases volantes, está previsto um total de 260 oficiais de bombeiros e 48 agentes civis atuando, disse a Sema.

Também deverão ficar à disposição dois aviões com capacidade de 3,1 mil litros de água, um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), 18 veículos Auto Rápido Florestal, 18 caminhonetes Auto Bomba Tanque e cinco Auto Floresta, e equipamentos de manuseio em mata, como facões, foices, sapas, abafadores.

Responsáveis
Para o comandante Júlio César, grande parte da responsabilidade na prevenção das queimadas é da população, já que 70% da área do estado estão na mão de particulares. “Se cada detentor de propriedade urbana e rural tomar medidas mínimas para evitar o início do incêndio, não provocá-lo dolosamente, aí sim os recursos existentes no corpo de bombeiros serão suficientes para atender as situações residuais. Denuncie o seu vizinho que está fazendo uso de queimadas para se livrar do lixo e da biomassa”, diz.

Nas áreas rurais, utilizar fogo é crime passível de 6 meses a 4 anos de prisão, com autuações que podem variar entre R$ 1 mil e R$ 7,5 mil por hectare. As denúncias podem ser feitas na ouvidoria da Sema-MT, pelo telefone 0800 65 3838, no 193 do Corpo de Bombeiros, ou diretamente nas secretarias municipais de Meio Ambiente.

Batalhão
O BEA foi criado para que o serviço especializado pudesse fazer o controle, prevenção e resposta a ocorrências muito graves, como incêndios florestais e emergências com produtos perigosos. Durante o período da proibição, todos os esforços, organizacionais e operacionais, estarão voltados para o enfrentamento dos incêndios florestais que têm início nesta época do ano, bem como as queimadas urbanas.

Redação JA/ Luiz Augusto

premium

Ler Anterior

TRABALHADOR DESCUIDADO: Prazo prescricional começa a contar a partir da ciência da lesão ao direito

Leia em seguida

Vereadores aprova LDO de R$ 2,2 bilhões em primeira votação

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *