• 18 de abril de 2021

> Fórum de Cuiabá faz reciclagem e beneficia famílias

Uma ação coletiva, de consciência ambiental, que reflete em resultados positivos que beneficiam algumas famílias, gerando emprego e renda, e promovendo inclusão social. Esse é o resultado da coleta seletiva realizada pelo Fórum de Cuiabá, em parceria com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que desde o dia 6 de janeiro colocou lixeiras identificadas, caixas coletoras de papel e dois contêineres pelos corredores da unidade judiciária para a separação consciente dos lixos seco e úmido.

 

O projeto “Recicla Cuiabá” é uma parceria entre o Poder Judiciário, Prefeitura de Cuiabá e a Cooperativa de Catadores de Material Reciclável União (CooperUnião), cujo objetivo é dar destino sustentável a centenas de toneladas de papel e outros materiais. As caixas coletoras foram colocadas também em todas as secretarias e varas do fórum, numa ação coletiva de conscientização aderida por todos os servidores. Duas vezes por semana o caminhão da prefeitura recolhe o material e leva para a CooperUnião, que fica no aterro sanitário de Cuiabá, onde são separados e enviados para empresas de reciclagem.

 

Ao todo, 15 pessoas trabalham na cooperativa e têm o retorno financeiro garantido, resultado da ação iniciada no Fórum. Além de tirar todo esse lixo da natureza, a coleta seletiva vai gerar renda, já que todo o material destinado pelo Fórum representa 20% do volume total recebido pela cooperativa. Por mês são arrecadados pela cooperativa cerca de R$ 15 mil, que são divididos entre os trabalhadores.

 

De acordo com a gestora-geral do Fórum de Cuiabá, Gicelda Fernandes, essa campanha tem agregado muito para os servidores, principalmente na cultura da preservação ambiental, auxiliando na rotina do descarte dos materiais que não estão sendo usados, colocando nas caixas o devido lixo. “Cada um pode contribuir para alertar o colega sobre o que ele pode reciclar. Quanto aos servidores nós não temos problema, porém a população de fora que às vezes, por não conhecer a iniciativa, não descarta o lixo corretamente”, disse.

 

Gicelda informou que hoje, por exemplo, para impressão utiliza-se o modo frente e verso, visando economia de papel que o tribunal fornece para atendimento da demanda. “Existe uma cultura há muitos anos dos servidores do Fórum quanto a economia de gastos e, principalmente, de papel”, salientou.

 

A gestora da Oitava Vara Cível, Erzira de Oliveira, que há 24 anos trabalha no local, conta que todas as pessoas já têm o hábito da reciclagem no ambiente de trabalho, colocando todo o papel que não serve mais na caixa de reciclagem. “Todo mundo aqui participa. Acho essa ação muito importante e isso acaba resultando em economia, além de conscientizar as pessoas de usar melhor papel e quando for descartar, fazê-lo de forma consciente, separando o lixo. Por isso que nós fazemos a reciclagem. Entendemos que é perfeitamente necessário e ajuda principalmente o meio ambiente”, discorreu.

 

Já na outra ponta, recebendo esse material, a presidente da CooperUnião, Terezinha Clemente Ferreira Ramos, de 49 anos, diz que a cooperativa foi uma luz no fim do túnel, que possibilitou deixar a vida de catadora no aterro sanitário e melhorar um pouco a sua qualidade de vida. No último dia 19 de agosto ela revelou que a CooperUnião completou um ano de fundação e, de lá para cá, a situação melhorou muito, já que hoje a renda aumentou e a insalubridade caiu consideravelmente. Ela atribui esse crescimento a parcerias como as feitas com o Fórum de Cuiabá.

 

“Poder ter essa renda representa muito na vida da gente, porque é uma liberdade que nós temos, e acabamos contribuindo com o meio ambiente. Além disso, nos ajuda financeiramente. Seria mais difícil sobreviver sem esse trabalho, principalmente nós, que não temos estudo. Se não fosse através da reciclagem, a gente passaria muita necessidade. A coleta seletiva nos trouxe tudo e é o meio que a gente consegue sustentar a família e não há crise que afaste essa renda. O pessoal do Fórum não faz ideia do quanto essa ação é importante para nós. Um simples ato de separar esse material lá no dia a dia deles dá pra gente melhor condição de vida”, afirmou.

 

A CooperUnião recebe todo tipo de material reciclável, como papel, papelão, garrafas pets, sacolas, latas de alumínio e copos descartáveis. As empresas ou instituições que quiserem destinar material reciclável podem entrar em contato com dona Terezinha pelos números 9947-0351 ou 9291-8204. “Estamos de braços abertos para receber mais material e agradecemos muito os que nos doarem materiais”.

 

Uma nova ação de conscientização está sendo planejada para o Fórum de Cuiabá, conforme revela Gicelda Fernandes. Uma campanha vai orientar e auxiliar as pessoas que frequentam as cantinas e a Defensoria Pública para terem esse cuidado ao descartar o lixo. “A atuação de todos nesse processo de conscientização é muito importante”, salientou.

 

premium

Ler Anterior

> Cojad/Rondonópolis convida advocacia para segunda mesa de debates

Leia em seguida

> TRE-MT realiza debate sobre minirreforma eleitoral durante solenidade dos dez anos da Escola Judiciária Eleitoral

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *