> Evento marca encerramento do Ribeirinho em 2016

Aproximadamente 11 mil atendimentos, que incluem 3.216 consultas médicas, 2.977 procedimentos na área de saúde, 939 assistências jurídica, notarial e registral, 2.301 serviços de cidadania (CPF, RG, aposentadoria, entre outros) e 4.040 medicamentos distribuídos. Esses são os números da 9ª edição do programa Ribeirinho Cidadão, que realiza solenidade de encerramento nesta quarta-feira (13/07), às 9h, no auditório Gervásio Leite, na sede do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Autoridades e parceiros do programa estarão na solenidade, como o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo da Cunha, o defensor público-geral, Djalma Sabo Mendes, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho 23ª Região, desembargadora Maria Beatriz Theodoro Gomes, o prefeito de Santo Antônio de Leverger, Valdir Castro Pereira Filho, entre outros. A solenidade é aberta ao público.

Durante a solenidade serão entregues certificados para os apoiadores e participantes do programa. Também serão apresentados dois documentários sobre os trabalhos realizados, um desenvolvido pelo Tribunal de Justiça e outro pela Defensoria Pública Estadual. Na área externa, vai ser montada uma exposição com fotos amadoras e profissionais tiradas pelos participantes durante o trajeto terrestre e fluvial do Ribeirinho.

Em sua nona edição, o projeto Ribeirinho Cidadão, desenvolvido pela Defensoria Pública do Estado, em parceria com o Tribunal de Justiça, apoio do Governo do Estado e diversas instituições, atendeu 46 comunidades ribeirinhas, entre os dias 12 e 29 de fevereiro de 2016.

Nesse período, uma equipe formada por 130 profissionais realizou gratuitamente atendimento jurídico, social e de saúde para a população ribeirinha que reside às margens do Rio Cuiabá. A expedição foi dividida em duas etapas, uma fluvial e outra terrestre.

Por Mariana Vianna

premium

Ler Anterior

Revalidação de diplomas de Medicina será discutido na Câmara

Leia em seguida

Governo protela medidas para aumentar arrecadação e não pagar RGA integral

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *