Entidades aderem à Semana do Júri

Realizada entre 13 e 17 de abril em todo o país, a Semana Nacional do Júri recebeu a adesão dos parceiros Ministério Público, Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil. Em Mato Grosso o evento é realizado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Poder Judiciário.

Wladymir Perri, juiz da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, afirma que os trabalhos são realizados em conjunto para que sejam julgados o maior número de processos possível. “Nós vimos uma preocupação grande dos envolvidos nos processos, principalmente dos advogados. Eles se empenharam em buscar testemunhas e provas para defender as causas”, ressaltou o magistrado.

Na comarca foram nomeados 25 advogados dativos para atuares como defensores dos réus. A defensora pública Milena Barbosa Bortoloto, que apoia a Semana, afirma que os júris concentrados são exemplos de eficiência na prestação jurisdicional. “Este é um evento que vai acelerar o julgamento de muitos processos. Vejo com bons olhos a forma utilizada pelo Judiciário para acelerar o resultado dos processos de forma efetiva”.

O promotor de justiça Marcelo Domingos Mansour resume a Semana como uma força tarefa que reúne todos os entes que integram a Justiça para que os julgamentos possam ser realizados com eficiência. “Estou aqui hoje representando o Ministério Público e fazendo valer o mandamento constitucional de defender a vida da vítima”, definiu seu trabalho.

O advogado Lucas Gabriel Silva França também aprova a iniciativa. “Um evento desta magnitude figura como uma situação ímpar para o Judiciário Estadual. Vemos que os magistrados e os advogados vestiram a camisa para que os julgamentos possam ser realizados com perfeição”, destacou o advogado.

Em Rondonópolis, 14 juízes irão presidir as sessões de júri, sendo nove da própria comarca e cinco de outras de unidades judiciárias. Também foram convocadas 222 pessoas reconhecidas pela conduta ilibada para compor os conselhos de sentença.

Os julgamentos vão ocorrer em nove lugares diferentes: o Plenário do Tribunal do júri, no Fórum; Quinto Batalhão da Polícia Militar; Secretaria Municipal de Saúde; Câmara Municipal; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); auditório do Jornal A Tribuna; Faculdade Unic; Faculdade Anhanguera; e auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE).

Além do juiz Wladymir Perri, participam dos julgamentos os juízes Alexandre Elias Filho, Carlos José Rondon Luz, Eduardo Calmon Cézar, Emerson Pereira Cajango, Francisco Rogério Barros, Jean Garcia de Freitas Bezerra, José Luiz Leite Lindote, Maria das Graças Gomes da Costa, Michel Lotfi da Silva, Rhamice Ibrahim Abdallah, Renan Pereira do Nascimento, Tatyana Lopes Araújo e Wanderlei José dos Reis.
Realizada entre 13 e 17 de abril em todo o país, a Semana Nacional do Júri recebeu a adesão dos parceiros Ministério Público, Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil. Em Mato Grosso o evento é realizado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Poder Judiciário.

Wladymir Perri, juiz da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, afirma que os trabalhos são realizados em conjunto para que sejam julgados o maior número de processos possível. “Nós vimos uma preocupação grande dos envolvidos nos processos, principalmente dos advogados. Eles se empenharam em buscar testemunhas e provas para defender as causas”, ressaltou o magistrado.

Na comarca foram nomeados 25 advogados dativos para atuares como defensores dos réus. A defensora pública Milena Barbosa Bortoloto, que apoia a Semana, afirma que os júris concentrados são exemplos de eficiência na prestação jurisdicional. “Este é um evento que vai acelerar o julgamento de muitos processos. Vejo com bons olhos a forma utilizada pelo Judiciário para acelerar o resultado dos processos de forma efetiva”.

O promotor de justiça Marcelo Domingos Mansour resume a Semana como uma força tarefa que reúne todos os entes que integram a Justiça para que os julgamentos possam ser realizados com eficiência. “Estou aqui hoje representando o Ministério Público e fazendo valer o mandamento constitucional de defender a vida da vítima”, definiu seu trabalho.

O advogado Lucas Gabriel Silva França também aprova a iniciativa. “Um evento desta magnitude figura como uma situação ímpar para o Judiciário Estadual. Vemos que os magistrados e os advogados vestiram a camisa para que os julgamentos possam ser realizados com perfeição”, destacou o advogado.

Em Rondonópolis, 14 juízes irão presidir as sessões de júri, sendo nove da própria comarca e cinco de outras de unidades judiciárias. Também foram convocadas 222 pessoas reconhecidas pela conduta ilibada para compor os conselhos de sentença.

Os julgamentos vão ocorrer em nove lugares diferentes: o Plenário do Tribunal do júri, no Fórum; Quinto Batalhão da Polícia Militar; Secretaria Municipal de Saúde; Câmara Municipal; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); auditório do Jornal A Tribuna; Faculdade Unic; Faculdade Anhanguera; e auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE).

Além do juiz Wladymir Perri, participam dos julgamentos os juízes Alexandre Elias Filho, Carlos José Rondon Luz, Eduardo Calmon Cézar, Emerson Pereira Cajango, Francisco Rogério Barros, Jean Garcia de Freitas Bezerra, José Luiz Leite Lindote, Maria das Graças Gomes da Costa, Michel Lotfi da Silva, Rhamice Ibrahim Abdallah, Renan Pereira do Nascimento, Tatyana Lopes Araújo e Wanderlei José dos Reis.
Realizada entre 13 e 17 de abril em todo o país, a Semana Nacional do Júri recebeu a adesão dos parceiros Ministério Público, Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil. Em Mato Grosso o evento é realizado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Poder Judiciário.

Wladymir Perri, juiz da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, afirma que os trabalhos são realizados em conjunto para que sejam julgados o maior número de processos possível. “Nós vimos uma preocupação grande dos envolvidos nos processos, principalmente dos advogados. Eles se empenharam em buscar testemunhas e provas para defender as causas”, ressaltou o magistrado.

Na comarca foram nomeados 25 advogados dativos para atuares como defensores dos réus. A defensora pública Milena Barbosa Bortoloto, que apoia a Semana, afirma que os júris concentrados são exemplos de eficiência na prestação jurisdicional. “Este é um evento que vai acelerar o julgamento de muitos processos. Vejo com bons olhos a forma utilizada pelo Judiciário para acelerar o resultado dos processos de forma efetiva”.

O promotor de justiça Marcelo Domingos Mansour resume a Semana como uma força tarefa que reúne todos os entes que integram a Justiça para que os julgamentos possam ser realizados com eficiência. “Estou aqui hoje representando o Ministério Público e fazendo valer o mandamento constitucional de defender a vida da vítima”, definiu seu trabalho.

O advogado Lucas Gabriel Silva França também aprova a iniciativa. “Um evento desta magnitude figura como uma situação ímpar para o Judiciário Estadual. Vemos que os magistrados e os advogados vestiram a camisa para que os julgamentos possam ser realizados com perfeição”, destacou o advogado.

Em Rondonópolis, 14 juízes irão presidir as sessões de júri, sendo nove da própria comarca e cinco de outras de unidades judiciárias. Também foram convocadas 222 pessoas reconhecidas pela conduta ilibada para compor os conselhos de sentença.

Os julgamentos vão ocorrer em nove lugares diferentes: o Plenário do Tribunal do júri, no Fórum; Quinto Batalhão da Polícia Militar; Secretaria Municipal de Saúde; Câmara Municipal; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); auditório do Jornal A Tribuna; Faculdade Unic; Faculdade Anhanguera; e auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE).

Além do juiz Wladymir Perri, participam dos julgamentos os juízes Alexandre Elias Filho, Carlos José Rondon Luz, Eduardo Calmon Cézar, Emerson Pereira Cajango, Francisco Rogério Barros, Jean Garcia de Freitas Bezerra, José Luiz Leite Lindote, Maria das Graças Gomes da Costa, Michel Lotfi da Silva, Rhamice Ibrahim Abdallah, Renan Pereira do Nascimento, Tatyana Lopes Araújo e Wanderlei José dos Reis.
Realizada entre 13 e 17 de abril em todo o país, a Semana Nacional do Júri recebeu a adesão dos parceiros Ministério Público, Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil. Em Mato Grosso o evento é realizado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Poder Judiciário.

Wladymir Perri, juiz da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, afirma que os trabalhos são realizados em conjunto para que sejam julgados o maior número de processos possível. “Nós vimos uma preocupação grande dos envolvidos nos processos, principalmente dos advogados. Eles se empenharam em buscar testemunhas e provas para defender as causas”, ressaltou o magistrado.

Na comarca foram nomeados 25 advogados dativos para atuares como defensores dos réus. A defensora pública Milena Barbosa Bortoloto, que apoia a Semana, afirma que os júris concentrados são exemplos de eficiência na prestação jurisdicional. “Este é um evento que vai acelerar o julgamento de muitos processos. Vejo com bons olhos a forma utilizada pelo Judiciário para acelerar o resultado dos processos de forma efetiva”.

O promotor de justiça Marcelo Domingos Mansour resume a Semana como uma força tarefa que reúne todos os entes que integram a Justiça para que os julgamentos possam ser realizados com eficiência. “Estou aqui hoje representando o Ministério Público e fazendo valer o mandamento constitucional de defender a vida da vítima”, definiu seu trabalho.

O advogado Lucas Gabriel Silva França também aprova a iniciativa. “Um evento desta magnitude figura como uma situação ímpar para o Judiciário Estadual. Vemos que os magistrados e os advogados vestiram a camisa para que os julgamentos possam ser realizados com perfeição”, destacou o advogado.

Em Rondonópolis, 14 juízes irão presidir as sessões de júri, sendo nove da própria comarca e cinco de outras de unidades judiciárias. Também foram convocadas 222 pessoas reconhecidas pela conduta ilibada para compor os conselhos de sentença.

Os julgamentos vão ocorrer em nove lugares diferentes: o Plenário do Tribunal do júri, no Fórum; Quinto Batalhão da Polícia Militar; Secretaria Municipal de Saúde; Câmara Municipal; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); auditório do Jornal A Tribuna; Faculdade Unic; Faculdade Anhanguera; e auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE).

Além do juiz Wladymir Perri, participam dos julgamentos os juízes Alexandre Elias Filho, Carlos José Rondon Luz, Eduardo Calmon Cézar, Emerson Pereira Cajango, Francisco Rogério Barros, Jean Garcia de Freitas Bezerra, José Luiz Leite Lindote, Maria das Graças Gomes da Costa, Michel Lotfi da Silva, Rhamice Ibrahim Abdallah, Renan Pereira do Nascimento, Tatyana Lopes Araújo e Wanderlei José dos Reis.
Realizada entre 13 e 17 de abril em todo o país, a Semana Nacional do Júri recebeu a adesão dos parceiros Ministério Público, Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil. Em Mato Grosso o evento é realizado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Poder Judiciário.

Wladymir Perri, juiz da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, afirma que os trabalhos são realizados em conjunto para que sejam julgados o maior número de processos possível. “Nós vimos uma preocupação grande dos envolvidos nos processos, principalmente dos advogados. Eles se empenharam em buscar testemunhas e provas para defender as causas”, ressaltou o magistrado.

Na comarca foram nomeados 25 advogados dativos para atuares como defensores dos réus. A defensora pública Milena Barbosa Bortoloto, que apoia a Semana, afirma que os júris concentrados são exemplos de eficiência na prestação jurisdicional. “Este é um evento que vai acelerar o julgamento de muitos processos. Vejo com bons olhos a forma utilizada pelo Judiciário para acelerar o resultado dos processos de forma efetiva”.

O promotor de justiça Marcelo Domingos Mansour resume a Semana como uma força tarefa que reúne todos os entes que integram a Justiça para que os julgamentos possam ser realizados com eficiência. “Estou aqui hoje representando o Ministério Público e fazendo valer o mandamento constitucional de defender a vida da vítima”, definiu seu trabalho.

O advogado Lucas Gabriel Silva França também aprova a iniciativa. “Um evento desta magnitude figura como uma situação ímpar para o Judiciário Estadual. Vemos que os magistrados e os advogados vestiram a camisa para que os julgamentos possam ser realizados com perfeição”, destacou o advogado.

Em Rondonópolis, 14 juízes irão presidir as sessões de júri, sendo nove da própria comarca e cinco de outras de unidades judiciárias. Também foram convocadas 222 pessoas reconhecidas pela conduta ilibada para compor os conselhos de sentença.

Os julgamentos vão ocorrer em nove lugares diferentes: o Plenário do Tribunal do júri, no Fórum; Quinto Batalhão da Polícia Militar; Secretaria Municipal de Saúde; Câmara Municipal; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); auditório do Jornal A Tribuna; Faculdade Unic; Faculdade Anhanguera; e auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE).

Além do juiz Wladymir Perri, participam dos julgamentos os juízes Alexandre Elias Filho, Carlos José Rondon Luz, Eduardo Calmon Cézar, Emerson Pereira Cajango, Francisco Rogério Barros, Jean Garcia de Freitas Bezerra, José Luiz Leite Lindote, Maria das Graças Gomes da Costa, Michel Lotfi da Silva, Rhamice Ibrahim Abdallah, Renan Pereira do Nascimento, Tatyana Lopes Araújo e Wanderlei José dos Reis.POR TJMT

premium

Ler Anterior

Barra: prazos processuais e atendimento suspensos

Leia em seguida

Semiliberdade: melhor atendimento para jovens

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *