Empresária foi morta com facadas no pescoço e traumatismo na cabeça durante briga

Segundo a Policia Judiciária que apurou os fatos, diz que a empresária Rosemeire Soares Perin, 52 anos, teria discutido com Jefferson Rodrigues da Silva, de 33 anos, na quitinete onde ele morava, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá). No dia 16, quando desapareceu, ela teria ido até o local levar uma peça para uma máquina de sorvete que estaria quebrada.

Conforme apurado pela reportagem, Jefferson teria comprado uma máquina de sorvete da empresária e inclusive buscado na casa dela. Rosemeire costumava dar assistência técnica e no dia que sumiu, foi encontrar o suspeito.

No entanto, ambos tiveram uma discussão e Jefferson teria partido para cima de Rosemeire. A vítima então desmaiou e bateu a cabeça.

Ele e o comparsa amarram, amordaçaram a mulher e depois a mataram com três cortes no pescoço. O corpo da empresária foi localizado na tarde da última quinta-feira (18), na Passagem da Conceição, em Várzea Grande. Os cortes eram tão profundos que ela quase foi decapitada.

DILIGENCIA E PRSÔES

Consta no relatório da policia, que Jefferson foi preso nos fundos de um lava-jato, no bairro Vila Artur. Ele estava o veículo e Carteira de Habilitação (CNH) da vítima.  Com indicação dele, uma área de mata na região da Passagem da Conceição, perto de um antigo frigorífico, as equipes da PM chegaram ao corpo da vítima, que estava envolto de plástico e cobertores.

Além de confessar participação, Jefferson entregou o segundo envolvido na morte. Pedro Paulo de Arruda, 29, acabou preso na madrugada de hoje (19), por volta de 1h, em uma residência no bairro São Mateus, também em Várzea Grande.

Na garagem da casa desse suspeito, no porta-malas de um veículo Ônix, de cor vermelha, havia dois sacos de cal, cada um de 8 quilos. Sobre a cal que estava no porta-malas, material usado comumente na construção civil, o suspeito disse que seria para acelerar o processo de decomposição, diminuir o odor e ajudar na ocultação do corpo da vítima. No quarto, em um móvel, foi localizado e apreendido 1kg de maconha.

Politec confirma identificação

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), confirmou, através de confronto papiloscópico a identidade da empresária Rosemeire Soares Perin, 56 anos, que estava desaparecida e foi encontrada morta nesta quinta-feira (18.02). Ela foi localizada às margens da estrada da guarita, com os pés e mãos amarradas, e com cortes profundos no pescoço.

Após a realização da necropsia foi contatada que a causa da morte foi por choque hipovolêmico por instrumento perfurocortante, o tempo estimado de morte foi de aproximadamente entre 24h a 72h.

A Gerência de Perícias de Mortes Violentas, em atendimento às requisições da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, realizou perícias em três locais diferentes. Sendo, o local onde a vítima foi encontrada morta, na residência em que ela foi morta, e no veículo da empresária.

Na residência, foram coletados diversos vestígios de sangue, e na arma do crime, que serão periciados pela Diretoria Metropolitana de Laboratório Forense da Politec. No veículo da vítima foi realizada a busca por impressões papilares, e será feita a busca por vestígios ocultos de sangue através da aplicação de Luminol.

Os resultados das análises e dos levantamentos nos locais do crime constarão nos laudos periciais que serão encaminhado à autoridade policial após a sua conclusão, dando seguimento ao Inquérito Policial.

 

Redação JA / Foto; Reprodução

Rocha

Ler Anterior

Idosos asilados já estão recebendo a segunda dose da vacina contra a covid-19 em Cuiabá

Leia em seguida

Profissionais da advocacia já podem aderir a sistema de protocolo digital do INSS; saiba como

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *