• 27 de fevereiro de 2021

Curso supera expectativa e aperfeiçoa trabalho

A fim de aprimorar conhecimentos, em especial dos profissionais cuja demanda diária muitas vezes se relaciona a situações específicas, como pedidos de perícia e medidas cautelares, 60 pessoas – entre juízes, delegados, promotores e policiais militares de alta patente – participam
do ‘Curso de Técnicas de Investigação’, que ocorre nesta quinta e sexta-feira (16 e 17 de abril) na Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), em Cuiabá.

Para um dos coordenadores da iniciativa, juiz Jamilson Haddad, o curso é bastante técnico e contribui para o exercício da prática jurisdicional dos magistrados. “A Escola Nacional da Magistratura trouxe um professor mestrando do mais alto nível de conhecimento prático e teórico sobre essas modalidades de investigação criminal. Ele trouxe informações extremamente importantes para o aprimoramento dos participantes. Tudo o que há de melhor e atualizado nesse sistema de combate à criminalidade, que o Brasil está cada vez mais avançando”, disse.

“O objetivo é também aproximar as instituições, como Ministério Público, Judiciário e Polícia, porque todos em conjunto que irão contribuir com um bom resultado de trabalho no combate ao crime organizado. Procuramos qualificar como é feito no dia a dia e até mesmo com toda a segurança”, salientou o palestrante do primeiro dia, professor doutor Alessandro Gonçalves Barreto, delegado de Polícia do Estado do Piauí.

A juíza Patrícia Ceni, que participa do curso, ressaltou o trabalho diário dos magistrados, que lidam muito com interceptações telefônicas, quebras de sigilo, porém não têm conhecimento pleno de como essas práticas funcionam, qual é o tipo específico que necessitam para uma determinada investigação. “Nós temos o conhecimento jurídico, mas não temos o técnico. Nesse momento, o que a gente está aprendendo é justamente aplicar o conhecimento jurídico juntamente com o técnico. Está sendo muito interessante e extremamente agradável aprender um pouco mais”.

O Curso está sendo realizado pela Escola da Magistratura Mato-grossense (Emam) e ministrado pela Escola Nacional da Magistratura (ENM), da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). A carga horária será de 16 horas/aula. A juíza Maria Aparecida Sarmento Gadelha também integra a coordenação do curso.

Nesta sexta-feira (16 de abril) o curso será ministrado pelo professor universitário mestre Públio Lima de Mello.

Coordenadoria de Comunicação do TJMT

premium

Ler Anterior

TRE-MT suspende expediente no dia 20 de abril

Leia em seguida

Convenção processual sobre o rito pode resultar em renúncia a direitos, diz promotor

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *