Credibilidade, celeridade e cidadania pautam a CGJ

03/02/2015 – A desembargadora Maria Erotides Kneip assumiu à frente da Corregedoria-Geral da Justiça nesta segunda-feira (2 de fevereiro) prometendo uma gestão baseada em três pilares: credibilidade, celeridade e cidadania. Os três “cês”, como ela mesma os chama. A magistrada integrará a alta administração no biênio 2015/2016, juntamente com os desembargadores Paulo da Cunha (presidente) e Clarice Claudino da Silva (vice-presidente).

De acordo com a magistrada, os pilares são a representação do que a sociedade espera da Justiça. “Cidadania porque o Judiciário precisa ser feito para o povo. Credibilidade porque nós precisamos ter a confiança da população. E celeridade porque é necessário mostrar que a Justiça é acessível e efetiva”, afirmou a corregedora em entrevista coletiva momentos antes da posse.

Maria Erotides destacou ainda que a equipe da Corregedoria trabalhará muito para atingir todas as metas traçadas no plano de gestão. Para o biênio 2015/2016 foram traçados cinco macrodesafios, “que serão perseguidos com tenacidade e sinergia” pela CGJ e pelos magistrados que estão nas comarcas, mais próximos da população.

São eles: promover ações para a garantia dos Direitos de Cidadania; desenvolver gestão integrada e transparente; aprimorar metodologias, normatizações e instrumentos de fiscalização; criar, aperfeiçoar e expandir a Tecnologia da Informação e Comunicação; e garantir a agilidade nos trâmites judiciais e administrativos.

A corregedora espera, ao fim da gestão, superar os obstáculos, conquistar as metas propostas, reduzir as desigualdades sociais e, assim, consolidar os direitos dos cidadãos. “A agilidade da prestação jurisdicional é objeto de perseguição constante e a Corregedoria utilizará as ferramentas disponíveis para orientar e auxiliar os magistrados a fim de que cumpra com excelência a sua missão-fim”, resumiu.

Ana Luiza Anache Leite-TJMT

premium

Ler Anterior

Vice-presidente defende a pacificação social

Leia em seguida

Nossa maior semeadura foi de carvalhos, diz Perri

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *