CPI da Câmara Municipal de Cuiabá investigará o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB)

08/11/2017 – O autor da proposta de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), Marcelo Bussiki (PSB) comemorou a nona assinatura e explicou que a CPI funciona como uma intimação judicial, obrigando todos os convocados a comparecer no plenário para prestar esclarecimentos. Ele adiantou que além de Pinheiro, o ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa e até o ex-governador devem ser intimados.

“Sinceramente eu não esperava que a nona assinatura viesse tão rápido. Após a assinatura do Diego, nós esperávamos mais tempo. Para mim foi uma boa surpresa. A CPI tem poderes de autoridade judicial então ela pode convocar o prefeito, o ex-governador Silval, o delator Silvio, o Alan Zanatta. Estas são pessoas que podem ser convocadas”, afirmou.

O parlamentar também explicou que a nona assinatura favorável feita pelo vereador Toninho de Souza (PSD) nesta manhã será apresentada na sessão da próxima terça-feira e a mesa diretora terá 48 horas para publicar a resolução da CPI.

Por ser autor da proposta, Bussiki será o vereador que irá presidir a comissão. De acordo com o regimento interno da Câmara, o relator e o membro serão definidos pelo colégio de líder assim que o processo ser instaurado.

Para o vereador, o objetivo da investigação é de que a verdade sobre as imagens do prefeito recebendo dinheiro de Silvio César Araújo, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa seja esclarecida para a população cuiabana.

“A nossa intenção é que a verdade apareça. Que o prefeito apresente suas provas, se justifique a sociedade e esperamos que tudo ocorra bem, mas se não houver justificativa, o relatório final vai ser redigido e votado em plenário. A comissão quer que apareça a verdade. As imagens são muito fortes e se for comprovado tudo e não haver uma justificativa, configura uma quebra de decoro no cargo que ele ocupa”, disse.

A proposta de CPI foi feita por Marcelo Bussiki dias depois dos vídeos em que deputados estaduais da gestão passada, incluindo o atual prefeito de Cuiabá recebendo propina paga pelo ex-governador Silval Barbosa ser divulgado em rede nacional. As imagens foram anexadas a delação premiada do ex-chefe de gabinete do ex-governador.

Além do voto de Bussiki, também foram a favor da comissão os vereadores Felipe Wellaton (PV), Abílio Júnior (PSC), Joelson Amaral (PSC), Dilemário Alencar (PROS), Gilberto Figueiredo (PSB), Eliseu Nascimento (PSDC), Diego Guimarães (PP) e Toninho de Souza (PSD).

premium

Ler Anterior

Resistência de Juízes e procuradores à reforma trabalhista é criticada por parlamentar

Leia em seguida

MP nega pedido de Taques para afastar Zaque de investigações

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *