Confira algumas dicas para não errar na Black Friday

13/11/2017 – Conhecida pelo grande volume de desconto, uma das datas mais importantes para o comércio requer a atenção dos consumidores

A Black Friday está chegando e o comércio já começa a se organizar para promover uma das datas mais esperadas pelos lojistas e também pelos consumidores, que muitas vezes esperam quase que o ano todo para fazer compras com descontos atrativos, principalmente no caso dos eletrônicos. De acordo com a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as vendas devem crescer 15% neste ano durante a Black Friday – que acontece no dia 24 de novembro em todo o país.

A data que é inspirada no comércio dos Estados Unidos ganha cada vez mais força no Brasil e, por isso, requer ainda mais atenção dos consumidores na hora de fechar um negócio. O professor de Direito do Consumidor do CERS Cursos Online, Cristiano Sobral, faz um alerta para alguns casos de lojas que aumentam o preço dos produtos alguns dias antes para depois oferecer o desconto na Black Friday, voltando o item para o preço original. “É a prática chamada de ‘tudo pela metade do dobro’. Por isso, o consumidor que já faz planos de fazer uma compra durante a Black Friday precisa tomar alguns cuidados. O primeiro deles é consultar os preços um mês antes e fazer o registro deles, seja por foto ou com um print do site”, avalia.

O especialista do CERS afirma que esta é uma prática abusiva e recriminada pelo Código de Defesa do Consumidor. Outro exemplo de problemas que podem ser encontrados durante esse período é a venda de produtos com avarias, resultantes de lotes que ficam parados ao longo do ano e que algumas lojas aproveitam para colocar à venda. “É importante que as pessoas saibam que isso são práticas citadas em artigos da legislação e que elas podem e devem se proteger contra elas. O Procon e os juizados especiais estão à disposição para orientar e conduzir as ações”, indica Sobral.

Assim como ficar de olho nos preços e sempre conferir a integridade dos produtos, outra dica importante é evitar as compras por impulso. Com a inúmera variedade de ofertas que podem ser encontradas, até mesmo desde o início de novembro, os consumidores correm o risco de se empolgarem e acabarem se arrependendo depois. “Para os casos de arrependimento, uma dica é ficar atento aos alertas dos lojistas a respeito das trocas e devoluções. No caso das compras on-line, o cliente tem até sete dias para cancelar a compra e solicitar o reembolso mediante a devolução dos produtos”, explica o especialista em Direito do Consumidor do CERS Cursos Online.

Por; Larissa Spinelli

premium

Ler Anterior

Reforma Trabalhista prevê utilização de Seguro Garantia Judicial para depósitos recursais

Leia em seguida

Empresa deve seguir normas coletivas do local de prestação dos serviços

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *