Comissão de Segurança Pública da OABMT trata de aumento de criminalidade com secretário

O presidente da Comissão de Segurança Pública da OABMT, Almerindo Costa, esteve reuniu com o presidente da Seccional, Maurício Aude, para tratar das ações que vem desenvolvendo junto à Secretaria de Estado de Segurança Pública. O advogado esteve com o secretário, Mauro Zaque, nesta quarta-feira (6 de maio) para tratar do aumento da criminalidade na capital e no interior.

Almerindo Costa cobrou as nomeações de novos policiais militares e civis relatando a demanda de uma empresa de cosméticos que teve de fechar as portas devido aos inúmeros assaltos que sofreu. A OABMT, por meio da referida comissão, foi procurada pela representante da empresa O Boticário, que fechou uma de suas lojas depois de 34 anos no mesmo ponto comercial, situado na Avenida Fernando Correa, em Cuiabá. Entre 2007 e 2015 a loja sofreu 15 assaltos, todos sem solução.

O advogado relatou que a insegurança entre os cidadãos e comerciantes é grande e demonstrou preocupação quanto à estrutura da Segurança Pública no Estado, colocando a Ordem à disposição para colaborar. O secretário explicou que no dia 30 de junho vão formar 600 novos PMs e 600 novos investigadores de polícia. Afirmou, também, que cerca de 740 militares serão nomeados até agosto.

Nomeação

O secretário Mauro Zaque relatou que está formando uma Comissão de Estudos Legislativos com integrantes da OABMT, do Poder Judiciário, do Ministério Público Estadual e da própria Secretaria para buscar alternativas para melhor equipar a Sesp/MT. Conforme o secretário de Segurança Pública, nos próximos dias 18 a 22 de maio será implantada oficialmente a Comissão para iniciarem os trabalhos.

Na reunião com Almerindo Costa nesta quinta-feira (7 de maio), Maurício Aude o nomeou para representar a Ordem nesse trabalho. “Precisamos dar uma resposta à sociedade diante da insegurança que paira sobre as famílias e as empresas. E a OABMT está sempre disposta a contribuir para a busca de soluções e também fiscalizar o trabalho desenvolvido pelo poder público”, pontuou.

Dados

Cuiabá e Várzea Grande registraram aumento de 35% nos casos de homicídios e crescimento na quantidade de outros crimes, como roubos, latrocínios e furto de veículos. Enquanto em Cuiabá o número de pessoas assassinadas de janeiro a novembro subiu de 181 em 2013 para 226 em 2014, em Várzea Grande, a alta foi de 135 para 202 no mesmo período. Ao todo, foram registrados mais de 400 homicídios nas duas cidades até novembro do ano passado, número que ultrapassa o total de 2013, quando 349 pessoas foram assassinadas.

Conforme os dados da Polícia, o crime que mais teve aumento é o de roubo de carros. Na Capital, bairros como Boa Esperança, Centro, Porto e a região do CPA concentram o maior número de registros. (Com informações do jornal A Gazeta)

Assessoria de Imprensa OAB/MT

premium

Ler Anterior

Câmara aprova realização de provas de concursos federais em todas as capitais

Leia em seguida

Certidão de indisponibilidade do PEA está disponível

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *