Comissão de Políticas sobre Drogas realiza audiência sobre drogas na OABMT

A Comissão de Políticas sobre Drogas da OABMT realizou na tarde desta quinta-feira (25 de junho), no Plenário Advogado Mario Cardi Filho, audiência pública sobre o tema “A OABMT e as políticas sobre drogas – reflexos do abuso de álcool em festas”. O evento foi conduzido pelo presidente, Nestor Fidelis, e contou com a participação de diversas instituições e sociedade.

 

Antes de conceder a palavra para os inscritos, Nestor Fidelis ressaltou que a OABMT se comprometeu institucionalmente com uma causa da qual já faz parte há muito tempo, até mesmo porque advogados estão lidando frequentemente com causas ligadas ao tema. “A Ordem tem legitimidade para propor, debater o assunto e firmar parcerias que visam o combate às drogas. Hoje, elas não batem mais às portas de nossas casas, já está dentro dos nossos lares, e é uma realidade grave que estamos vivendo”.

 

O presidente da comissão destacou, ainda, que “temos tratado de vários assuntos, pois o eixo é extenso. A OABMT quer somar esforços e contribuir com a causa. Seria ideal que o terceiro setor não precisasse atender pessoas envolvidas com as drogas, ficando esse serviço a cargo apenas do setor público. Infelizmente, não é o que ocorre. Nosso Estado é o que mais apreende drogas e o número não para de crescer. Precisamos pensar, também, na prevenção, e não apenas na repressão”.

 

Nestor Fidelis acrescentou que a bebida (álcool) é a droga que mais mata no trânsito e chamou a atenção para a realização das chamadas festas open bar. “Hoje o que prevalece são festas regradas a bebidas. Percebemos que nas festas de formatura, por exemplo, há muita ingestão de álcool. Não queremos um discurso xiita, mas apenas que haja responsabilidade”.

 

Um investigador de polícia apresentou aos participantes da audiência as ocorrências registradas no sistema da Polícia Civil pelo uso de bebidas alcoólicas nos anos de 2012, 2013, 2014 e até maio deste ano. As três ocorrências de maior natureza foram:

 

  • Conduzir veículo automotor sob a influência de álcool (2012 – 436 casos; 2013 – 1113 casos; 2014 – 1425 casos e de janeiro a maio deste ano – 686 casos);
  • Lesão corporal (2012 – 830 casos; 2013 – 1054 casos; 2014 – 1206 casos e de janeiro a maio deste ano 536 casos);
  • Embriaguez (2012 – 568 casos; 2013 – 649 casos; 2014 – 617 casos e 2015 261 casos).

 

Após a apresentação do investigador, os debates começaram e, ao final dos apontamentos feitos pelas instituições, uma carta será confeccionada a fim de formular ações para serem colocadas em prática visando imprimir mais efetividade no combate às drogas.POR  OAB/MT

premium

Ler Anterior

25/06/2015 – Cartórios poderão informar ao Detran sobre transferências de veículos

Leia em seguida

Telefone do 3º Juizado Cível não está funcionado

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *