> Comissão de Política sobre Drogas da OABMT recebe moção de aplauso

O presidente da Comissão de Políticas sobre Drogas da OABMT, Nestor Fidelis, recebeu moção de aplauso em sessão extraordinária em homenagem aos 15 anos do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência no Estado (Proerd), nesta segunda-feira (13 de julho), na Assembleia Legislativa. O advogado considerou a honraria uma forma de reconhecimento do parlamento estadual em relação a mais uma atividade de cunho jurídico-social da Ordem.

 

“Ao longo dos anos, a OABMT tem contribuído com a construção e aplicação das políticas sobre drogas e, a partir da criação da comissão específica, passou a lidar mais diretamente com ações legais e também com a prevenção, o fomento a discussão e a adequação das medidas de tratamento para usuários de drogas e dependentes químicos”, pontuou.

 

Nestor Fidelis consignou que o Proerd é um programa exemplar em prevenção, “parceiro da OABMT que estará conosco não somente na capital, mas também nas ações de esclarecimentos, informações e na realização prática (e não apenas teórica) da melhoria de ações de prevenção, educação, repressão, defesa da fronteira, tratamento e outros”.

 

O evento contou as participações de autoridades políticas, civis e militares e de toda a família proerdiana. Na abertura, o deputado Sebastião Rezende disse que “a homenagem da Assembleia Legislativa é um reconhecimento ás pessoas que de forma determinante contribuem para o Proerd crescer e se fortalecer em Mato Grosso”.

 

O deputado federal Vitório Galli fez um compromisso de, em se efetivando a lei 10.008 que criou a Fundação Educacional de Resistência às Drogas até o final deste ano, ele enviará emenda no valor de R$ 500 mil, “para que o Proerd possa ir avante levando a mensagem de esperanças“.

 

O secretário de direitos humanos, Marcio Dorilêo citou que 70% dos jovens em conflito com a lei são oriundos de lares desestruturados e que mais de 70% são cooptados pelas drogas. Para ela, “as drogas causam desestruturação porque ataca as famílias e o Proerd imprime o espírito de enfrentamento através da informação e persuasão dos jovens. É esse o caminho que vai nos assegurar a criar nossos filhos com mais segurança”.

 

O Proerd

 

O programa teve origem nos Estados Unidos, na cidade de Los Angeles, em 1883, com o nome D.O.R.E a partir de pesquisas realizadas por pedagogos que perceberam a necessidade de orientar as crianças sobre drogas e violência, em função dos males que elas causam. No Brasil, o Proerd começou a ser aplicado nas escolas no ano de 1992, primeiramente no Rio de Janeiro. Em Mato Grosso o Proerd foi criado pelo Decreto Governamental 5.651 de 2013, mas já estava em operacionalização há 2 anos, desde o ano 2000. O programa tem como lema: “pode-se combater o uso de droga através da Educação”.

 

O programa é desenvolvido por militares dentro da rede pública de ensino de Mato Grosso e reúne educandos, educadores e os pais. Ele presta orientação sobre as drogas e os efeitos danosos que o seu uso pode causar, identifica as principais fontes de pressões sociais, e mostrar alternativas, não violentas, de lidar com a raiva e os desentendimentos. O programa tem um material didático de apoio, composto de lições que abordam fatos sobre as drogas, noções de cidadania, técnica para se resistir às pressões dos colegas e da mídia para o uso de drogas, combate à violência, maneira de se lidar com o estresse, promoção da autoestima, tomada de decisão e valorização à vida.

 

O coordenador do Proerd, Jacques Lopes da Cunha informou que o programa atendeu ao longo destes 15 anos um total de 275 mil alunos em Mato Grosso em 75 municípios. Para ser professor do Proerd o militar passa por duas etapas seletivas, a primeira com pedagogos, psicólogos e com o próprio coordenador do programa, e depois, sendo selecionado, passa por um curso preparatório de 120 horas/aulas. Entre as exigências, além da formação, deve ser profissional ilibado e pessoalmente não pode ter nenhuma dependência química.POR OAB

premium

Ler Anterior

> Homem é condenado pela morte de ex-companheira

Leia em seguida

> Casal é condenado por morte de bebê em Cuiabá

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *