• 5 de março de 2021

Comentário do advogado José Moreno sobre / “ALGO ERRADO” NA OAB

02/03/2015 – Muito elucidativa a entrevista do Dr Ussiel Tavares, Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT) de 1998 a 2003, ao site MidiaJur, à respeito das campanhas à OAB/MT.
Sob sua ótica, há “algo errado” no fato de os postulantes ao cargo “torrarem” cifras milionárias em uma campanha sem ter, em tese, qualquer expectativa de retorno desse montante.
Afirma ainda que “Uma campanha pelo grupo de situação não sai por menos de R$ 500 mil. É muito dinheiro para quem se dispõe a largar o escritório para se dedicar a um cargo não remunerado”. Finaliza dizendo que “Alguma coisa está errada nisso”.
Dr Ussiel Tavares, dessa vez, concordo plenamente contigo. O que é que a OAB tem de tão bom que há esse apego absurdo pelo poder por parte dos que lá se encontram?
Fato é que o atual modelo de campanha utilizado pela OAB em todo o país, contraria todas as regras de direito eleitoral previstas, que o digam Dr José Luís Blaszak, Dr Rodrigo Cyrineu e outros tantos colegas especialistas em Direito Eleitoral.
Já dizia o velho ditado, “em casa de ferreiro, espeto é de pau”.
A OAB conclama a todos para participarem de campanhas pelo Voto Limpo; luta por alterações nas regras de arrecadação de campanha, entretanto, não faz o dever de casa.
Nas campanhas da OAB não se prestam contas dos valores arrecadados e gastos; não se sabe quem doou; não há necessidade de se desincompatibilizar do cargo que se ocupa quando o postulante busca a reeleição ou concorre a outro cargo eletivo; há loteamento de cargos; não se proíbe a boca de urna; se permite a utilização de showmícios, camisetas e tudo o mais que é proibido nas campanhas de eleições partidárias.
E o que dizer daquele corredor polonês ao qual os advogados votantes são submetidos no dia de eleição?
Há eleições de outras entidades classistas em que os eleitores exercem seu direito ao voto de dentro de seus escritórios, sem sequer ter de comparecer ao local de votação, fazendo-o pela internet, com total segurança e respeito.
Os fatos acima apontados são um atentado à democracia, à igualdade e, sobretudo, permite que o poder financeiro e econômico prevaleça numa escolha, em detrimento ao debate verdadeiro de idéias e propostas.
Como bem salientou o Dr Ussiel Tavares, quando saímos de nosso escritório para visitarmos as cidades do interior do estado (somente subseções são 29 cidades diferentes), o fazemos com a cara e a coragem, com utilização de recursos próprios e dos companheiros que se envolvem no projeto de uma OAB melhor e mais atuante.
De outro norte, os pré-candidatos da situação ficam realizando “visitas institucionais”, às custas do próprio dinheiro das anuidades, fazendo campanha escancarada, encobertos sob o manto da legalidade, ainda que descobertos sob o manto da imoralidade.
Inventam Projetos como OAB 80 Anos (fazendo com que tal marco dure três anos) e, sempre, ao final dos mandatos, criam ciclos de palestras mambembes, percorrendo as principais cidades pólo tendo como palestrantes nada mais nada menos que os candidatos da situação. No fundo, se trata de pura campanha eleitoral com dinheiro das anuidades.
É uma vergonha!!!!
Apresentaremos nos próximos dias junto ao Conselho Federal, projeto de alteração das regras eleitorais atuais, com o objetivo de tornar as campanhas da ordem menos desiguais e mais próximas do binômio legalidade/moralidade.
Não será uma luta fácil, pois, o modelo é o mesmo em todo o país e como as regras são definidas pelo Conselho Federal, por óbvio, há os interesses regionais envolvidos.
Mas, somos brasileiros e não desistimos nunca.
Gostaria de registrar que diferentemente do que fora dito pelo colega Dr Ussiel Tavares em entrevista anterior ao mesmo site de notícias, de que colocamos nosso nome à frente de um eleição sem que exista qualquer projeto para a OAB/MT, na verdade, em 2012, foi concebido um projeto de gestão para a OAB que iria revolucionar a nossa entidade. Referido projeto continua atual, será melhorado e caso seja de vosso interesse conhece-lo, basta falar conosco.
Quem sabe nas próximas eleições não teremos tudo diferente, tanto nas regras de campanha quanto no resultado e na gestão, não é mesmo??

Comentário estraido do Facebook

premium

Ler Anterior

Lei dos Caminhoneiros é sancionada sem vetos

Leia em seguida

Parte não precisa renovar pedido de Justiça gratuita a cada recurso

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *