• 18 de setembro de 2021

“Chegou a hora de mudar”, diz Scaravelli em apoio a chapa de oposição na OAB-MT

Os advogados de Mato Grosso vão às urnas, no mês de novembro, para escolher o nome que vai comandar a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Mato Grosso pelos próximos três anos. O candidato de oposição, advogado Pedro Paulo Peixoto, tem angariado apoios de prestígio na caminhada pela presidência da OAB-MT. Entre eles, um nome com história e trabalho dentro da Ordem: João Vicente Scaravelli, que já foi presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA/MT) e candidato à presidência da OAB-MT em 2009.

 

João Vicente é filho de Santo Scaravelli, que atuou por mais de 40 anos na advocacia,  foi Conselheiro Federal da Ordem dos Advogados de Mato Grosso, atuou como  procurador-geral do município de Rondonópolis e também como secretário de Estado da Casa Civil.

 

Em entrevista ao PNB Online, João Vicente Scaravelli fala sobre seu apoio ao candidato Pedro Paulo, os desafios da classe e da Ordem. Com críticas à atual gestão, Scaravelli é bem claro em seu posicionamento sobre a necessidade de mudanças de rumo na condução da OAB em Mato Grosso.

 

Confira abaixo os principais trechos da entrevista:

 

PNB Online – O senhor tem 30 anos de advocacia, foi presidente da CAA/MT, candidato à presidência da Ordem, com vasta experiência na área. Que conquistas pode citar como importantes para a classe nas últimas décadas?

 

João Vicente Scaravelli –  Por ter ocupado cargo a nível nacional junto ao Concad, essa experiência nos trouxe a melhor visão possível para se aplicar em Mato Grosso o que havia de mais interessante, moderno e importante para nossa advocacia. Temos hoje em franca evidência a OABPrev, da qual Mato Grosso faz parte, que garante uma aposentadoria à nossa classe digna e rentável. Temos o clube dos advogados, que em nossa gestão lançamos esse embrião. O melhor exemplo de como se deve administrar a OAB para a sua classe foi quando criamos o FIDA – Fundo de Investimento das CAA’s. Deu a essa instituição a sua total liberdade de agir, investir e levar ao colega do interior, de forma democrática, a estrutura que sua subseção necessita. Foi um avanço e é importante que todos saibam que isso só foi possível graças à atuação de pessoas que tiveram a noção de que a OAB é um todo, desenvolvendo dessa forma as seccionais com maiores dificuldades e, em especial, as nossas subseções, que por fruto dessa vitória administrativa da qual fui seu relator, há no momento, só para exemplo, cinco delas em obras. São obras que daremos sequência, pois não são só fruto dessa administração, mas daquelas, como a nossa, que pelo jeito, fizemos a diferença.

 

PNB Online – E o que ainda pode e precisa ser feito para melhorar?

 

Scaravelli – Quando começamos a trabalhar em conjunto com as outras seccionais, verificamos a ansiedade e necessidade de haver essa evolução em nossas administrações. Vislumbramos fortemente nas Caixas, mas também nos outros órgãos da OAB, como a Escola Superior da Advocacia, troca de informações entre os Tribunais de Ética, Conselhos e, especialmente, nas direções das seccionais. Há, assim, um leque muito grande para crescer e avançar nas necessidades de nossa classe. A renovação de seus já ultrapassados e retrógrados administradores fará com que novos e experientes advogados venham dar novos ares, novas metas, novos mecanismos, especialmente a aquilo que tanto incomoda a nossa classe, as prerrogativas.

 

PNB Online – O senhor declarou apoio à candidatura do dr. Pedro Paulo. Que qualidades o senhor diria que ele tem para conduzir a OAB?

 

Scaravelli –  Quando saí candidato, me fizeram uma pergunta: você quer ser presidente? A resposta do Dr. Pedro Paulo é efusiva: sim! Tem base como pessoa, família e profissional. Não nos deixa dúvidas de que estamos à frente de um vencedor. Estrutura de candidato, advogado atuante, professor universitário, inserido na sociedade sem mácula, um homem íntegro e respeitador. Mas só isso não basta. Ele possui, no caso dessas eleições, qualidades imprescindíveis para um pleito vitorioso: é reconhecido pelos colegas como oposição. Por ser professor universitário, tem um vasto conhecimento de seus ex-alunos. E esse reconhecimento por parte desses novos advogados e advogadas lhe dá uma grande vantagem, a qual, sem nenhuma dúvida, fará a diferença no próximo pleito.

 

PNB Online – A OAB-MT atualmente representa bem os advogados do Estado? Por quê?

 

“A renovação de seus já ultrapassados e retrógrados administradores fará com que novos e experientes advogados venham dar novos ares, novas metas, novos mecanismos, especialmente a aquilo que tanto incomoda a nossa classe, as prerrogativas”

Scaravelli – Já faz algum tempo, em especial nestas últimas, um distanciamento entre a classe e a ordem. Fruto de um mesmíssimo raciocínio, do mesmo esforço igualitário de cada dia, ou seja, esse “sistema” está surrado, ultrapassado, frágil e não representa mais a classe. Chegou a hora de mudar, por advogadas e advogados que ainda possuem em suas mentes e corações aquela paixão, por exemplo, que herdei de meu pai, que senti nos meus bons tempos de Ordem, e que nessa gestão fica muito claro que já se desassociou, que sequer tem noção do que faz e do que é uma defesa das prerrogativas, por exemplo. Não sei quem foi o marqueteiro ou infeliz que disse que a defesa das prerrogativas tem que ser um evento pirotécnico, esquecendo totalmente do verdadeiro objetivo.

 

PNB Online – Qual a imagem  que a OAB-MT precisa ter perante a classe e também para a sociedade?

 

Scaravelli – Sou do tempo de uma Ordem que tinha credibilidade na sociedade mato-grossense, sem nenhuma dúvida, nenhuma pecha, seja ela social ou profissional.  Sou do tempo de um Cezar Britto, Ophir Cavalcante, Roberto Busato, Reginaldo Castro. Não dá para aceitar que alguém venha à mídia, nessa seara nacional, e defenda ou se vanglorie que representa o atual distinto que está na presidência do Conselho Federal. Essa imagem passada para nós é um dos maiores motivos que temos o Dr. Pedro Paulo para nossa seccional. Não tenho dúvidas que no Conselho Federal não será feita a sua tradicional sequência, sucessão, chame como quiser. Precisamos dar um basta. E isso começa com a eleição de uma nova seccional, de um novo conselho federal, e começar a fazer a diferença. O caminho existe e é tudo uma questão de tempo. E, principalmente, de andar juntos, firmes, unidos, por uma nova Ordem, dos Advogados, de suas famílias, dos interesses da classe, e por um Mato Grosso realmente representativo.

Por: PNB On-line/ Foto; Reprodução

Rocha

Ler Anterior

Estados acusam Petrobras de mentir sobre preço da gasolina

Leia em seguida

Gisela Cardoso reuniu com 600 advogados nesta sexta feira ( 10/09 ) com a proposta de prerrogativas sejam, sim, cada vez mais observadas e com que os honorários advocatícios mais valorizados

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *