Cejusc de Diamantino realiza 1,6 mil acordos

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca de Diamantino (208 km ao médio-norte de Cuiabá) realizou 1.651 acordos desde a instalação, em abril, até novembro deste ano. O maior número de conciliações foi obtido em agosto durante o mutirão da empresa de telefonia móvel, Claro. Somente na ação foram feitos mais de 1,5 mil negociações referentes a processos que tramitavam na comarca.

Além disso, o Cejusc promoveu diversas ações ao longo do ano com o objetivo de dar celeridade ao trâmite processual, evitar a judicialização de novos processos para o Poder Judiciário, mas principalmente, difundir a mediação e a conciliação como forma de solucionar conflitos.

Para isso, o Centro Judiciário trabalhou intensamente na mediação de litígios relacionados à questão da terra, como regularização fundiária. Os mediadores e conciliadores capacitados também atuaram, ao lado do coordenador do Cejusc, juiz Anderson Candiotto, em mutirões como o da Claro.

Entre as principais ações da unidade judiciária está a primeira mediação virtual realizada pelo Judiciário brasileiro, iniciativa modelo para a Justiça de todo o país. Por meio desta plataforma é possível que as partes visualizem na tela de seu computador uma à outra, bem como tenham acesso direto ao mediador da sessão e fazer uso da palavra. O procedimento é realizado por meio de webcam e microfone, sem a necessidade de que as partes se desloquem até o Centro Judiciário. Ao todo já foram feitas cinco sessões.

Projetos

Para 2015, a coordenação do Centro Judiciário prevê a execução de projetos como Justiça Comunitária, que funciona e atende as populações de Cuiabá e Várzea Grande através de ações de cidadania e prestação de serviços judiciários. Estão previstas a formação de mediadores sociais, prepostos, advogados e policiais militares para atuarem em conjunto com a Justiça Estadual em iniciativas que visam promover a mediação e a conciliação.

Foram feitas parcerias e convênios com entidades como Defensoria Pública e Universidade de Mato Grosso (Unemat). Ambas deverão colaborar com os projetos do próximo ano.

Camila Cecílio-TJMT

premium

Ler Anterior

O que podemos esperar de 2015 no Direito do Trabalho

Leia em seguida

Primeira sessão do Pleno será dia 22 de janeiro

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *