CEF autoriza empréstimo para o PAC e acena com pavimentação de 150 km

20/08/2016 – Contrapartida de obras do PAC no valor de R$ 18 milhões já estão autorizadas. Município solicita outros R$ 140 milhões para pavimentar 150 km de ruas em 35 bairros de Várzea Grande

A Caixa Econômica Federal oficializou a Prefeitura Municipal de Várzea Grande, a autorização para contratação de R$ 18 milhões em empréstimos para atender a contrapartida dos quase R$ 500 milhões de obras do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC.

As obras do PAC vão dotar a segunda maior cidade de Mato Grosso com 100% de água potável; 70% de esgoto sanitário tratado; pavimentação asfáltica em bairros periféricos; habitação para moradores em áreas de risco e recuperação de lagoas.

Em 2015, a prefeita Lucimar Campos conseguiu resgatar as obras do PAC que estavam paralisadas desde 2007 por causa de problemas legais quanto às licitações e a inadimplência do Tesouro Municipal.

“Várzea Grande está em uma condição financeira privilegiada”, disseram o superintendente da Caixa Econômica Federal, Tabarê Marçal e José Luiz Dias, gerente geral, lembrando que o Tesouro Municipal tem todas as Certidões Negativas de Débitos – CND, condições mais do que favoráveis para liberação dos créditos através de empréstimos.

Na oportunidade a prefeita Lucimar Campos, oficializou uma Carta Consulta já remetida ao Ministério das Cidades, solicitando, dentro da capacidade de endividamento do município, um novo aporte financeiro da ordem de R$ 140 milhões para pavimentar 150 km de ruas e avenidas em 35 bairros de Várzea Grande.

“Nosso papel é fomentar uma melhor qualidade de vida para a população através de políticas públicas sociais dos entes federados, como o Município de Várzea Grande, portanto, é fundamental termos parceiros como a atual administração que mantém a regularidade nas contas públicas e o equilíbrio entre receitas e despesas”, disse José Luiz Dias, gerente regional da CEF em Várzea Grande.

Ambos sinalizaram que essa nova Carta Consulta depende do aval Ministério das Cidades, e confirmaram a autorização para os R$ 18 milhões referentes ao CPAC – Contrapartida do PAC.

Em junho passado, a prefeita Lucimar Campos esteve reunida com o ministro Bruno Araújo que demonstrou interesse em atender as demandas de Várzea Grande por causa da apresentação de projetos executivos elaborados e prontos e principalmente porque Várzea Grande está adimplente, ou seja, não tem dividas atrasadas com os credores financeiros e com o próprio Governo Federal.

premium

Ler Anterior

Elogiado por ter “alma de advogado”, ministro brinca sobre salários da classe

Leia em seguida

Taxa de recuperação de crédito em Mato Grosso tem índice 16% superior em 2016

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *