CBF, o número máximo de crianças que podem entrar em campo são 22 para cada time

03/08/2016 – O Juizado Especial do Torcedor, ao tomar conhecimento de informações inverídicas quanto aos motivos que ensejaram o indeferimento da entrada de algumas crianças em campo na partida que ocorrerá entre os times Santos Futebol Clube e Clube Regatas do Flamengo que será realizada no dia 03 de agosto de 2016 às 20hs45min

VEM A PÚBLICO
INFORMAR que conforme determinação da CBF, o número máximo de crianças que podem entrar em campo com os jogadores antes das partidas são 22 (vinte e duas) para cada time, medida esta, que vem sendo adotada pela Confederação Brasileira de Futebol desde 2014, valendo em todo o Brasil, e que é de conhecimento de todos os Organizadores de eventos futebolísticos, bem como de todas as Federações de Futebol.
Desta forma, foi determinado em reunião, com o Presidente da Federação Matogrossense de Futebol, que caberia a este, informar ao Organizador do Evento para que fosse providenciada a lista para a entrada das referidas crianças até a segunda-feira que antecederia o jogo (01/08/2016), observando o limite imposto.
Ocorre, que a própria Federação Matogrossense de Futebol apresentou uma lista contendo 44 nomes, sendo apresentada em ato contínuo, outra lista pelo organizador, contendo a mesma quantidade de crianças, desobedecendo assim, determinações da Confederação de Futebol, o que implicaria no indeferimento da permissão da entrada de no mínimo 44 crianças.
Frisa-se que foi esclarecido na data de ontem que a FMF e o Organizador chegaram a um consenso, ficando estabelecido que as crianças que acompanhariam os times seriam aquelas indicadas pelo organizador, que acabou informando nesta data que não haveria mais a entrada de tais crianças, vez que, apesar de haver a indicação e qualificação completa por parte do Santos Futebol Clube, o cadastramento dos infantes pelo Clube de Regatas Flamengo ainda não havia sido concluído, o que, mais uma vez, dificultava a aplicação das normas por parte da CBF.
Assim, ESCLAREÇO que o Indeferimento da entrada de crianças conforme vem sendo informado aos pais e responsáveis pelos menores, não é uma medida adotada pelo Juizado Especial do Torcedor, por estar os pedidos em desacordo com o ECA ou até mesmo com o Estatuto do Torcedor, mas sim, por estar infringindo determinação expressa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o que deveria ser informado desde o início pela própria Federação Matogrossense de Futebol, que possui conhecimento de que a indicação das crianças cabe ao Organizador do Evento.
ESCLAREÇO ainda que o papel do JET (Juizado Especial do Torcedor) não é em nenhum momento selecionar, seja através de cadastro, sorteio ou qualquer outro fim, as crianças que entrarão em campo com os jogadores, mas, tão somente, fiscalizar para que a integridade dos menores que são entregues à organização do evento desportivo seja mantida intacta desde à entrega aos agentes responsáveis, até a devolução aos pais ou responsáveis pelo infante, após a cerimônia de abertura da partida.
De outra feita, em respeito ao papel do Poder Judiciário, e principalmente às crianças e seus pais/responsáveis, caberia à Federação Matogrossense de Futebol proceder à observância estrita das determinações pertinentes, e que são de conhecimento de todos os que laboram na área.
Demais informações poderão ser prestadas pelo organizador do Evento, senhor Antônio Carlos Costa Cordeiro, através do número (061) 97400-8585.
Cuiabá, 02 de Agosto de 2016.
  
 
PATRÍCIA CENI
Juiz de Direito

premium

Ler Anterior

Conciliação direciona greve dos professores ao fim

Leia em seguida

55º Zona Eleitoral recebe Registro de Candidatura Coletivo de Cuiabá protocolado pelo PSOL

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *