• 28 de fevereiro de 2021

Bandeira do IAB é condecorada com a Ordem do Mérito Judiciário Militar

A bandeira do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) foi condecorada pelo presidente do Superior Tribunal Militar (STM), ministro William de Oliveira Barros, com a Ordem do Mérito Judiciário Militar, na solenidade comemorativa aos 207 anos da Justiça Militar da União, nesta quarta-feira (1º de abril), no Clube do Exército, em Brasília. Compareceram à cerimônia o presidente do IAB, Técio Lins e Silva, o 1º vice-presidente, Cândido de Oliveira Neto, a chefe de gabinete, Maíra Fernandes, o diretor-secretário, Carlos Eduardo Machado, e o diretor da Biblioteca, Fernando Drummond. A bandeira do IAB foi conduzida à condecoração pelo diretor financeiro, Thales de Miranda.

Na cerimônia, o presidente do STM falou sobre a missão constitucional da Justiça Militar da União. “Esta Justiça é essencial à manutenção da hierarquia e da disciplina, pilares em que se sustenta o estamento militar brasileiro, cujos maiores participantes e interessados são os integrantes das Forças Armadas e a sociedade brasileira”, afirmou o ministro William de Oliveira Barros.

A comenda foi criada em 12 de junho de 1957, para celebrar os 150 anos da Justiça Militar da União, fundada em 1º de abril de 1808. Com a Ordem do Mérito Judiciário Militar são agraciados servidores de carreira, tanto da primeira instância quanto do STM, instituições e personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, que prestaram reconhecidos serviços à Justiça Militar.

Foram homenageados com a comenda, na solenidade desta quarta-feira, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; os novos comandantes do Exército, Eduardo Villas Bôas, e da Aeronáutica, Nilvado Luiz Rossato, e o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Antônio José Levennhagen, além de deputados, senadores, conselheiros do Conselho Nacional de Justiça, membros do Ministério Público Militar e jornalistas.

Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB)
jornalista Ricardo Gouveia

premium

Ler Anterior

O Sucesso Técnico da Petrobras, a Força do Pré-Sal e o Despeito dos Entreguistas

Leia em seguida

Mãe é condenada a 39 anos por matar criança

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *