Após reunir com a PM, Taborelli recebe convite do Estado para intermediar negociação

Na tarde desta quarta-feira (13), o presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa, deputado estadual Pery Taborelli (PV), esteve reunido com presidentes das Associações de Polícias e Bombeiros Militares do Estado de Mato Grosso. A pauta foi o cumprimento da Lei de Reestruturação Salarial n° 541 de 02 de julho de 2014.

A categoria continua contraria a proposta do Estado que prevê o pagamento correspondente a 3% do ganho real, mais o INPC de 6,22%, sendo pagos integralmente no mês de maio deste ano. O reajuste previsto para dezembro 2015 será parcelado em duas vezes, sendo 50% para janeiro de 2016 e os outros 50% para maio de 2015, acrescido com o INPC. “Entendemos que com a proposta aprovada a tropa vai sofrer prejuízos financeiros”, enfatizou o presidente da Associação de Oficiais da PM, coronel Wanderson Nunes.

Os militares alegam que o Estado está resistente em recebê-los. “Duas reuniões já foram canceladas”.

O que os representantes querem é a sensibilidade do Governador do Estado quanto a percas salariais e a manutenção do acordo salarial firmado em 2014 com o então governador Silval Barbosa (PMDB) que implica no pagamento integral em maio e dezembro sem mais parcelamentos. “A tropa está preocupada, aterrorizada com a possibilidade do não cumprimento já no mês de maio. Até porque a folha de pagamento fecha daqui a dois dias e ainda não sentamos com o governador”, pontuou o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Adão Martins.

Caso não haja um bom senso nas negociações a categoria deve se reunir em Assembleia para definir as diretrizes futuras.

Durante a reunião com os Militares, Taborelli recebeu uma ligação da Casa Civil para comparecer a uma audiência com o secretário-chefe, Paulo Taques, na qual foi convidado para ser o intermediador entre o Governo do Estado e Polícia Militar. Durante o encontro com Taques o intermediador entrou em contato por telefone com o secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque, e ficou acordado uma reunião para amanhã (14), às 10 horas da manhã na Secretária de Estado de Segurança Pública, com o objetivo de solucionar a questão de maneira que as partes não sejam prejudicadas.Por Assessoria

premium

Ler Anterior

PPS não presta contas e TRE suspende fundo partidário por um ano

Leia em seguida

Materialização da Delegacia da Mulher começou há nove anos

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *