Descartada a reeleição de Mauricio Aude na OABMT

30/05/2015 – O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT), Maurício Aude, afirmou que não disputará a reeleição para o cargo nas eleições previstas para novembro deste ano.

Em comunicado, ele explicou que “cumpriu seu papel” e citou o secretário-geral da entidade, Daniel Teixeira, como um provável nome à sucessão. Com uma gestão considerada “morna”, nos bastidores, o comentário é que ele poderia levar o grupo de situação a uma derrota caso insistisse na tentativa de reeleição.

“Fui eleito para cumprir três anos e trabalharei no mesmo ritmo até dia 31 de dezembro. O Daniel Teixeira se colocou à disposição, até mesmo por incentivo de um bom número de conselheiros e advogados “O Daniel Teixeira se colocou à disposição, até mesmo por incentivo de um bom número de conselheiros e advogados de fora da gestão, e tem angariado apoios importantes na tentativa de viabilização de sua candidatura” de fora da gestão, e tem angariado apoios importantes na tentativa de viabilização de sua candidatura”, disse ele.

Aude justificou sua desistência à reeleição como uma forma de “oxigenar” a presidência da OAB-MT.“Como na semana passada eu já havia me decidido junto a sócios e familia, entendi que eu não teria o direito de segurar o grupo mais tempo. Externei, portanto, e externo agora a vocês que não serei candidato à reeleição por entender que cumpri meu papel em diretoria nos últimos seis anos e também por crer que a oxigenação na presidência é salutar”, explicou.

Conforme o presidente da Ordem, os conselheiros que atuam no interior do Estado cobraram um posicionamento dele sobre as eleições, motivo pelo qual ele decidiu informar que não será candidato.

“Meu desejo era tratar do assunto com todos juntos, mas as circunstâncias não permitiram, mesmo porque o momento de definição se avizinha. Amanhã falarei com os demais conselheiros, presidentes de comissões e em breve estaremos juntos em Sorriso, sem prejuízo de podermos nos falar antes, seja pessoalmente, seja por telefone”, alegou.

Definições

Do grupo situacionista, quatro nomes já demonstraram interesse em concorrer: o presidente da Caixa de Asssistência, Leonardo Campos; o conselheiro federal Francisco Esgaib; o presidente da Comissão de Saúde, Fabio Capilé e agora o secretário-geral Daniel Teixeira.

Já na oposição são possíveis candidatos os advogados José Moreno, Pio da Silva e Eduardo Mahon.

premium

Ler Anterior

Justiça condena ex-prefeito e vice de Sorriso

Leia em seguida

Teori Zavascki mantém ex-deputado José Riva na prisão

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *