25/09/2015 – Projeto já está em andamento no Fórum da Capital

O Projeto Piloto de Diagnóstico e Fortalecimento dos Judiciários, desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), já está em andamento no Fórum de Cuiabá. Uma equipe da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT) já está realizando o diagnóstico em nove Varas Cíveis de Feitos Gerais e em cinco Varas da Fazenda Pública. Essa primeira fase do projeto consiste em fazer o levantamento da situação de cada unidade, comparando varas iguais e respeitando a singularidade de cada uma para depois realizar a aplicação de boas práticas dentro de cada unidade.

 

A gerente do Projeto de Alocação de Recursos Humanos do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Jane Selma Barbosa, explica que a ideia final do projeto é verificar o número de servidores ideal dentro de uma unidade judiciária para que ela atue com alto desempenho e com excelente entrega da prestação jurisdicional. “Estamos fazendo o dimensionamento de força de trabalho, verificando o número ideal de colaboradores dentro de uma unidade para que eles atuem com alto desempenho e uma excelente entrega da justiça”, complementou.

 

De acordo com a gerente, nesse diagnóstico e nos próximos que virão com a expansão, a intenção é verificar o que cada unidade tem de diferencial para atuar com alto desempenho. “Isso vai ser repassado com a Corregedoria, futuramente, diante de provimento, para que outras unidades atuem dessa forma”, acrescentou.

 

Após o diagnóstico será realizada a fase de acompanhamento, dentro do cronograma de seis meses de duração do projeto piloto. Nesse período serão verificados qual a entrega da unidade naquele mês, já que há uma meta inicial de índice de produtividade para ser atingida pelos servidores das unidades. “O acompanhamento será feito pela Coordenadoria de Recursos Humanos, juntamente com a Corregedoria, incluindo auditorias mensais para verificar a situação das unidades, tanto no gabinete, quanto nas secretarias”, discorreu.

 

Segundo a diretora do Fórum de Cuiabá, Edleuza Zorgetti Monteiro da Silva,a proposta é fazer um planejamento para o próximo ano seguindo as orientações e o plano de gestão da Corregedoria. Para isso, serão elencadas as necessidades e o que se fazer como prioridade. “Existem muitas demandas e esse planejamento será para atendê-las. Tudo o que se padroniza e se estipula uma meta flui melhor, esse é nosso entendimento. Vamos trabalhar para que o processo administrativo do fórum funcione com transparência, com celeridade e que atenda os servidores, magistrados e o público externo”, ponderou.

 

O piloto – O Projeto Diagnóstico e Fortalecimento dos Judiciários foi apresentado aos desembargadores durante sessão ordinária administrativa do Tribunal Pleno na última quinta-feira (17 de setembro). O projeto consiste no desenvolvimento do piloto de gerenciamento matricial de recursos humanos e de despesas.

 

O TJMT foi escolhido juntamente com mais dois tribunais que servirão de modelo para o nivelamento de mão de obra e orçamento nas unidades judiciárias estaduais. Além de Mato Grosso, considerado um tribunal de médio porte, também integram o projeto piloto os tribunais de Minas Gerais (grande porte) e Tocantins (pequeno porte).

 

Matricial de Recursos Humanos – Consiste na melhor alocação de Recursos Humanos e na busca da modernização e da racionalização das rotinas (trabalhos) desenvolvidas nos cartórios. O objetivo é alcançar resultados melhores na taxa de congestionamento da Primeira Instância, na taxa de entrega de serviços e em índices de produtividade de servidores.

 

Esta frente é desenvolvida pela Coordenadoria de Recursos Humanos em parceria com a Corregedoria-Geral da Justiça e o Fórum de Cuiabá.

 

premium

Ler Anterior

25/09/2015 – Comissão debate regularização fundiária na CGJ-MT

Leia em seguida

> Advogado aborda protesto de decisões judiciais no novo CPC durante a XIII Convergência

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *