• 18 de abril de 2021

24/09/2015 – STJ nega liminar e Silval Barbosa continua preso por esquema de fraudes de R$ 2,6 milhões

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) acaba de indeferir pedido liminar de Habeas Corpus ao ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Desde a sua prisão, no dia  17 de setembro, esse é o segundo pedido negativo de liberdade ao  ex-gestor público.  A decisão  – conforme consta no site do STJ- foi publicada às 12h13 (hora de Brasília).  Na semana passada, no dia 18,
Silval Barbosa (PMDB) teve seu pedido de habeas corpus negado pelo desembargador Alberto Ferreira de Souza, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
O  ex-governador, preso preventivamente por determinação da juíza Selma Rosane de Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá,  foi denunciado pelo Ministério Público em esquema de lavagem de dinheiro e corrupção por meio da concessão de incentivos fiscais.  Empresário colaborador apresentou à Polícia provas quanto ao pagamento de R$ 2,6 milhões em propinas e afirmou que parte do pagamento seria destinada a quitação de dívidas de campanha do grupo de Silval.

Além de Silval, também foram presos os ex-secretários Pedro Jamil Nadaf, (Indústria e Comércio), Marcel Souza de Cursi (Fazenda) e o ex-governador Silval da Cunha Barbosa, em operação da Delegacia Fazendária, batizada como ‘Sodoma’, deflagrada na data de 15 de setembro.  Dois dias após a ação, Silval apresentou-se à Justiça e permanece preso em uma unidade do Corpo de Bombeiros, no bairro Verdão, em Cuiabá.

Os dois ex-secretários foram presos em cumprimento a mandados de prisão preventiva e o ex-governador é considerado foragido, por estar com a ordem de prisão em aberto e não ter sido encontrado em seu domicílio oficialmente declarado.

Como advogados de defesa de Silval, atuam  Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, maior criminalista do Brasil, e os juristas Franscisco Faiad, Ulisses Rabaneda dos Santos e Valber da Silva Melo. Kakay já defendeu pessoas conhecidas, como: o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira, o banqueiro Salvatore Cacciola, a atriz Carolina Dieckmann e o publicitário Duda Mendonça. Redação JA foto Dinalti Tuiuiu

premium

Ler Anterior

24/09/2015 — “Quem ofende um advogado ofende toda a classe”, diz presidente da OAB

Leia em seguida

24/09/2015 – Desembargador que negou HC de Silval e Nadaf relembra histórico “lamentável” de MT e cita Riva

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *