24/032016 – Pesquisa aponta os cartórios como a instituição mais confiável do país

Os cartórios são a instituição mais confiável do país dentre as instituições públicas e privadas. Esse é o resultado apresentado pelo Instituto Datafolha após pesquisa realizada no final de 2015 com usuários de cartórios de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo. De acordo com a pesquisa, os cartórios ocupam a primeira colocação, com média 7,6 de confiança entre as notas 0 a 10. O nível de satisfação dos usuários com as atividades extrajudiciais foi motivo de comemoração pelo Instituto de Estudos de Protestos de Títulos do Brasil Seção Mato Grosso (IEPTB-MT).

“O resultado dessa pesquisa mostra que estamos no caminho certo, pois toda a diretoria do IEPTB-MT vem trabalhando firme para que continuemos prestando todo o suporte necessário que os cartórios precisam para desempenhar seus trabalhos com qualidade, celeridade, transparência e, acima de tudo, confiabilidade. Estamos felizes com o grau de satisfação dos usuários e esperamos continuar oferecendo serviços de satisfaçam as necessidades de cada cidadão. Nossa maior conquista é saber que todos estão sendo bem atendidos”, exaltou a presidente do Instituto, Velenice Dias de Almeida e Lima.

A pesquisa compara os cartórios com todos os demais serviços públicos e aponta que 77% dos usuários consideraram os cartórios ótimos ou bons, bem como 74% dos usuários são contra alterações no sistema atual.

Ao lado desta credibilidade e qualidade, chama a atenção o resultado do relatório Doing Business, produzido pelo Banco Mundial, segundo o qual o custo de transmissão de imóveis no Brasil (gastos com escritura pública, registro e imposto municipal) é menor do que o praticado nos países ricos e o da média da América Latina: 3,5% Brasil (SP), 4,2% Países Ricos e 6,1% América Latina.

Universo pesquisado

Foram entrevistados homens e mulheres com mais de 18 anos, abordados na saída dos cartórios, logo após a utilização do serviço. No total, foram ouvidas 1.045 pessoas de quatro capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba) e do Distrito Federal. As abordagens ocorreram no período de 29 de outubro a 04 de novembro, em 97 cartórios, em diferentes horários e dias da semana, de forma a ser representativa da população usuária deste tipo de serviço.

A maior parcela é composta por homens, sendo que 55% tem ensino superior, com renda acima de cinco salários mínimos, e 86% faz parte da população economicamente ativa. Além disso, 57% foram ao cartório para uso próprio e 32% para uso de empresa. Dentre as categorias, os mais utilizados são os de Notas e de Registro Civil, com 44% e 39% respectivamente.

Com informações do Jornal Correio Braziliense

premium

Ler Anterior

24/03/2016 – Judiciário e MPE fazem ato público em prol da independência dos poderes

Leia em seguida

24/03/2016 – OAB-Primavera: Advogados prazo para retirada de Alvará e requerer isençõ do ISSQN

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *