Advocacia anseia por avanços na gestão do TJMT

03/02/2015 – A solenidade que empossou os desembargadores eleitos para a gestão 2015/2016 do Tribunal de Justiça de Mato Grosso contou com a participação de advogados da Capital e do interior. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso, Maurício Aude, elogiou as duas gestões passadas que, segundo ele, abriram definitivamente as portas para a advocacia e possibilitaram um diálogo permanente, franco e respeitoso.

Aude ressaltou que a nova gestão deve se focar na Primeira Instância, que necessita de uma atenção especial. “Notamos um esforço por parte do Judiciário, como a nomeação de juízes leigos, de servidores e de conciliadores, além da realização de concursos, o que tem contribuído para uma melhora, mas ainda há muito para avançar”, lembrou.

O presidente da Ordem afirmou que o TJMT tem entendido as posturas da OAB de cobranças e até de recorrer ao CNJ em algumas situações, assim como a Ordem entende as dificuldades de atender alguns pleitos. “Sei que o desembargador Paulo da Cunha vai continuar considerando a Ordem como indispensável na administração da justiça”.

Secretário-geral da OAB, Daniel Maia Teixeira destacou a importância das mulheres na administração do Tribunal. “A presença de duas mulheres nos cargos de direção aponta o avanço do Judiciário mato-grossense. Com as desembargadoras Clarice e Maria Erotides nossa esperança é que a Ordem dos Advogados continue sendo atendida da mesma forma ou ainda melhor pelo TJMT”.

Ussiel Tavares, ex-presidente da Seccional da OAB-MT, afirmou que “a expectativa é que haja um avanço em relação às gestões anteriores. Acredito que o desembargador Paulo da Cunha vai trilhar um bom caminho e contribuir com um Poder Judiciário mais transparente e acessível”.

Presidente da Subseção da OAB de Lucas do Rio Verde, Abel Sguarezi falou da grande demanda da comarca. “Há um problema geral no Estado que passa pela falta de servidores e magistrados, além de falhas concomitantes no Processo Judicial Eletrônico. Sem acesso à internet, o Judiciário fica inacessível para os municípios do interior”. Ao saber que implantar uma plataforma mais moderna e eficiente para o PJe é uma das prioridades da próxima gestão, Sguarezi comemorou. “Lucas do Rio Verde está muito feliz com a posse do desembargador Paulo da Cunha, depositamos toda confiança em seu plano de ações”, finalizou.

Fabiana Gil
Coordenadoria de Comunicação do TJMT

premium

Ler Anterior

STJ julgará prescrição de execuções fiscais e correção do DPVAT em 2015

Leia em seguida

OAB-SP critica redução de sessões do TJ para economizar água

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *