• 24 de setembro de 2021

17/02/2016 – Gestores se reúnem para analisar projetos de implantação do PJe

Líderes e gestores de projetos participaram de reunião de acompanhamento da sistemática de governança estabelecida para o Processo Judicial Eletrônico (PJe), realizada na Escola dos Servidores do Poder Judiciário, na manhã desta terça-feira (16 de fevereiro). Na oportunidade, eles apresentaram à Consultoria Falconi a parte operacional de cada projeto, bem como as atividades concluídas e em andamento das ações relacionadas ao PJe.

O gerente de projeto pela Falconi, Bayard Oliveira Loureiro, explicou que as reuniões com os gerentes ocorrem mensalmente e, com a mesma frequência, com a cúpula do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), incluindo o desembargador Paulo da Cunha (presidente), para justamente mostrar o andamento e reestruturação das áreas de apoio.

“Essas reuniões sistemáticas de tudo o que foi planejado fazem parte do processo de governança. Dentro do TJ o PJe estava muito restrito a TI e conseguimos elevá-lo para um projeto mais estratégico, envolvendo o presidente e todas as áreas de apoio. Por isso o TJMT está numa caminhada muito interessante em relação ao avanço do PJe”, enfatizou.

A Coordenadoria de Tecnologia da Informação do TJMT apresentou todo o planejamento feito para o ano de 2016 e uma previsão dos anos de 2017 e 2018. De acordo com o gestor de Projetos da TI, Rafael Kloeckner, essas ações referem-se à implantação do PJe na Primeira e Segunda Instâncias, nos juizados especiais e turmas recursais, juntamente com ações internas, de manutenção e aperfeiçoamento do sistema.

“O principal foco para esse ano é fazer com que o planejamento seja concluído com sucesso. Não estamos medindo esforços para que todas as ações necessárias sejam desenvolvidas e concluídas com êxito. Até o fim de 2016 vamos atingir 51% das comarcas e 100% do Tribunal de Justiça”, ressaltou. Ele destacou a parceria com a Falconi, que trouxe para o projeto uma organização e ampliação de ações com as outras áreas. “Antes nós tínhamos o projeto sempre voltado para a TI e agora nós temos as outras áreas participando diretamente, o que tende a evoluí-lo e torná-lo mais consolidado”, complementou.

A coordenadora judiciária do TJMT, Rose Pincerato, apresentou o fluxo, as rotinas e a estruturação no âmbito do Segundo Grau de jurisdição, uma vez que com a implantação do PJe, as atividades se modificam, criando novas rotinas e atividades nas secretarias. “Esse é o objetivo, em trabalho conjunto com a Falconi: pensar num cenário futuro com implantação do PJe, o que inclui rotina, normatização, procedimentos e fluxos. Essa parceria é muito importante porque nós temos o conhecimento da rotina do nosso trabalho, mas a Falconi detém a técnica de como fazer. Isso auxilia muito nas reuniões, com a técnica de organização, de comunicação e de envolvimento das áreas”.

De acordo com a consultora Emília Vasconcellos, a Falconi iniciou o planejamento do PJe no TJMT em outubro de 2015. Essa fase, oportunidade em que foram decididas todas as ações para efetivamente realizar a implantação da ferramenta, será concluída em fevereiro, e seguida pela fase de acompanhamento das equipes.

Já foram definidas, por quadrimestre, as comarcas que vão passar pela implantação do PJe durante o ano de 2016. “Já está tudo previsto e essas ações vão ser acompanhadas para garantir a implantação com êxito”, acrescentou. As primeiras comarcas a receber a ferramenta serão Cáceres, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis e Sorriso.

Os 11 projetos de implantação do PJe são:

1 – Desenvolvimento de Tecnologia da Informação
2 – Gestão capacitação – Escola dos Servidores
3 – Gestão capacitação – Escola dos Magistrados
4 – Gestão de Comunicação
5 – Gestão de Infraestrutura
6 – Estruturas Organizacionais – 1º Grau
7 – Estruturas Organizacionais – 2º Grau
8 – Gestão de Rotinas Operacionais – 1º Grau
9 – Gestão de Rotinas Operacionais – 2º Grau
10 – Estruturação do fluxo dos processos – 1º Grau
11 – Estruturação do fluxo dos processos – 2º Grau

Continuação – Além da reunião matutina, na tarde desta terça-feira (16 de fevereiro) o Comitê de Implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe) voltou a se reunir, dessa vez com a participação do presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha, para apresentar à Presidência um panorama de como está o andamento das ações desenvolvidas em cada coordenadoria no sentido de promover a implantação do PJe.

De acordo com o presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha, concluída a fase de mapeamento dos processos e planejamento das ações individuais, agora é o momento de iniciar uma força-tarefa. “Se não tivermos o trabalho e empenho de todos neste momento, todo o trabalho de pesquisa e consultoria realizado não vai passar de um mero relatório. Por isso, conto com o comprometimento de todos os gestores e servidores envolvidos, para que possamos atingir nossa meta de implantação do PJe em 2016”, observou. Por Dani Cunha/Mariana Vianna

premium

Ler Anterior

> Sessão plenária desta quinta-feira terá início às 9 horas

Leia em seguida

> Estágio: Aripuanã abre seleção para nível médio

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *