17/01/2015 – 4ª Vara Criminal de Cuiabá quer Selo ISO 9001

Na próxima semana (20 e 21 de janeiro), às 13h, começam os trabalhos de certificação ISO 9001 da 4ª Vara Criminal de Cuiabá. Nestas datas serão feitos treinamentos sobre o Sistema de Gestão da Qualidade e os requisitos da Norma ISO 9001:2008, manual da qualidade, controle de registros e de documentos, além de não conformidades e tabela de temporalidade.

O primeiro passo será a implantação do Sistema de Gestão da Qualidade ( SGQ), que é uma estratégia de administração com o objetivo de criar nas pessoas a consciência da qualidade em todas as ações realizadas pelo setor. Ele também mostra aos servidores a importância do papel que eles desenvolvem na Instituição. Este trabalho de conscientização é feito com as pessoas de todos os escalões da instituição.

A certificação da Primeira Instância é um sonho do desembargador presidente do TJMT, Orlando Perri, que desde que assumiu a Presidência da Justiça Estadual, em março de 2013, vem trabalhando para tornar mais eficazes os serviços prestados ao cidadão. De acordo com o magistrado, a excelência não tem fim e é por isso que o Poder Judiciário sempre busca a melhoria contínua.

“O desafio é grande, mas o empenho da equipe deve ser melhor. O selo ISO 9001 demonstra a eterna busca do TJMT pela eficiência nos trabalhos jurisdicionais oferecidos. Hoje estamos mais alinhados nas normas, também podemos perceber a maturidade dos setores sobre qualidade e esse amadurecimento é muito importante para o sucesso da certificação da área fim”, ressalta Orlando Perri.

A Quarta Vara Criminal é a mais antiga vara de crime de Cuiabá, segundo o juiz Lídio Modesto Filho, responsável pela unidade. No local tramitam quase 1,5 mil processos com competência geral do Código Penal, isto é, todos os crimes que não são especializados.

“A ideia de implantar o SGQ surgiu da vontade de melhorar a prestação jurisdicional para o cidadão e tornar mais eficiente o acesso dos advogados e cidadãos. Nós queremos que a sociedade visualize a melhora na entrega dos trabalhos. A proposta foi diretamente ao encontro dos ideais do desembargador Orlando Perri, que prima pela melhoria da qualidade no serviço público”, explica Modesto.

Keila Maressa-TJMT

premium

Ler Anterior

17/01/2015 – TJ seleciona empresa para fiscalizar contratos

Leia em seguida

Justiça bloqueia bens de conselheiro do TCE e Janete Riva

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *